A bacia do rio Pandeiros, no Norte de Minas, uma das mais importantes na formação da bacia hidrográfica do rio São Francisco, vai ser revitalizada. O diagnóstico do sistema já está sendo feito pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), que contratou os serviços que incluem a elaboração do projeto de engenharia hidroambiental da área.

O investimento do governo federal, por meio da Codevasf, é da ordem de R$ 314 mil. A ação faz parte do Programa de Revitalização da Bacia Hidrográfica do São Francisco. Para o superintendente regional da Codevasf em Minas Gerais, Marco Antônio Graça Câmara, o projeto é necessário para que a empresa tenha o conhecimento das condições de degradação da bacia e promova ações para reverter o problema.

“Com essas informações, temos condições de realizar as intervenções necessárias por meio das indicações e soluções técnicas, objetivando a revitalização hidroambiental da bacia do rio Pandeiros”, afirma. 

De acordo com o chefe da Unidade de Meio Ambiente da Codevasf em Minas Gerais, Domênico Morano Júnior, a bacia hidrográfica do rio Pandeiros é de extrema importância para o São Francisco.

“Após a elaboração do diagnóstico e com o projeto finalizado, a Codevasf buscará os recursos para a implantação das ações de revitalização na bacia. A previsão é de emissão da ordem de serviço para o início dos trabalhos ainda neste mês e o prazo de execução é de 180 dias”, explica.

PROCESSOS EROSIVOS
O diagnóstico vai avaliar as condições de degradação ambiental da bacia com foco no controle de processos erosivos. A proposta é identificar as áreas de maior vulnerabilidade ambiental, como as nascentes e áreas de preservação permanente (APPs), indicando os principais focos de erosão e propondo ações para interromper ou minimizar o problema.

O objetivo é recuperar as áreas degradadas e ampliar a infiltração da água no solo para promover a recarga dos aquíferos e, consequentemente, das nascentes.
 
IMPORTÂNCIA HIDROAMBIENTAL
A bacia hidrográfica do rio Pandeiros, localizada nos municípios de Bonito de Minas, Cônego Marinho e Januária, no Norte de Minas, está situada na margem esquerda do Velho Chico. A extensão é de aproximadamente 398 mil hectares.

A área é considerada unidade de conservação de uso sustentável desde 1995, quando foi criada a Área de Proteção Ambiental da Bacia Hidrográfica do Pandeiros (APA Pandeiros). 

Em razão de sua enorme biodiversidade, ela é conhecida como o “Pantanal Mineiro”, constituindo-se como um berçário natural, responsável pela reprodução de aproximadamente 70% dos peixes do rio São Francisco.

Ao longo dos anos, a bacia tem sofrido com ações de degradação e assoreamento, principalmente devido à monocultura irrigada, pecuária tradicional, desmatamento clandestino e o uso mal planejado do fogo, o que vem levando à rápida deterioração do seu ambiente natural com a ocorrência de processos de erosão, formação de voçorocas e assoreamento.