Games de plataforma tiveram um período de baixa, mas voltaram com tudo nos últimos anos. E uma boa pedida é “Hidden Deep” do estúdio Cogwheel Software. 

Com recursos de jogos como “Limbo”, “Inside” e os clássicos “Out of this World” e “Prince of Persia”, que combinam movimentação realista e diferentes obstáculos, o game coloca o jogador numa caverna abaixo do leito do oceano. A história tem como pano de fundo uma estação de pesquisa, onde foram encontradas anomalias da natureza. 

Depois de quase dois anos, a expedição perde contato com a superfície e o jogador é enviado para investigar o que aconteceu. A busca pelos colegas chega a lembrar “H.E.R.O.”, a obra-prima do Atari.

Com labirintos escuros e iluminação que só mostra um pequeno raio em torno do jogador, o game também lembra o longa-metragen Sci-Fi, “Prometeus”, da série “Alien”. Inclusive há aquela bolinha de scanner que, no filme, ajuda a mapear a nave alienígena. 

No game essa bola permite abrir parte do mapa e eliminar algumas criaturas. O jogador ainda conta com um gancho usado para subir e descer as fendas da caverna, além de uma pistola.

Por falar em criaturas, há seres estranhos que podem liquidar rapidamente seu personagem. Algumas delas são imunes aos disparos. Nesse caso, o jeito é correr o mais rápido que o jogador puder.

Gráficos

Visualmente o game agrada. Ele combina gráficos de estilo Pixel Art, mas com nível elevado de detalhamento, mesmo sendo tudo muito diminuto, para dar a dimensão do cenário inóspito . A movimentação ele bem feita, assim com a poeira e o sangue das criaturas. 

A sonoplastia também agrada. Basicamente o jogador é acompanhado do eco de seus passos e dos disparos. O sensores também amplificam a sensação de apreensão do personagem, preso num local escuro. Em alguns momentos surge uma trilha continua de poucas notas, mas bastante sinistra. Tudo isso deixa o jogador perturbado. É bem legal.

Palavra final

“Hidden Deep” é um daqueles games legais que custam bem menos do que valem. Seu preço é de apenas R$ 40. O único senão é que tem edição apenas para Windows. É um jogo que merecia uma versão para consoles, pois seria muito mais legal viajar nesse game numa TV grande.