Em entrevista exclusiva ao Hoje em Dia, por email, a neurocientista, doutora em patologia da linguagem e escritora Caroline Leaf fala mais sobre o método “neurociclo”, para reorganizar a mente e superar males como ansiedade e depressão. Confira!

Você começa o livro explicando ao leitor os malefícios de não usar a mente de modo correto. O que é certo e o que é errado nesse uso de uma “máquina” que funciona ininterruptamente?
A mente é mais do que uma “máquina” que funciona sem parar. É mais como uma força motriz extremamente complexa que dirige o cérebro e o corpo. A mente “aparece” no cérebro e no corpo e se torna nossa “vivacidade”. Nossas mentes são onde nossa identidade e singularidade são formadas. É onde quem somos é reconhecido – nossa consciência. Quando estamos acordados usamos nossas mentes para construir as experiências de vida em nosso cérebro e em nosso corpo; à noite, para organizar os pensamentos que construímos enquanto estamos acordados. Se nossas mentes são confusas, nosso cérebro e corpo e como conduzimos nossa vida também serão confusos, e nossa saúde mental e física pode sofrer. Como nossa mente é uma parte tão vasta e complexa de nosso ser, devemos reconhecer que o gerenciamento da mente é uma habilidade essencial, contínua e necessária para a vida, e que não há soluções rápidas ou atalhos. Mas isso não precisa ser uma coisa assustadora! Há maneiras de treinar seu cérebro para que o gerenciamento da mente se torne um hábito.

O estímulo a seres multitarefas e multiconectados, como vemos em nossa sociedade, contribui para esgotamento mental e, mais adiante, a perda de memória e até doenças degenerativas?
Há muitas pesquisas que fornecem evidências do benefício do pensamento intelectual versus o cérebro multitarefas. O pensamento intelectual profundo ativa o córtex pré-frontal (logo acima das sobrancelhas) de forma positiva, produzindo maior concentração, menos distração, menos alternância entre tarefas, alternância mais eficaz, diminuição da volatilidade emocional e aumento geral na conclusão do trabalho. Em um nível consciente, não devemos prestar atenção a tudo o tempo todo, porque não podemos agir conscientemente em tudo simultaneamente. 

Como assim?
Nossa mente consciente deve fazer uma coisa de cada vez porque é a parte de nossa mente que está fazendo o processo real de aprendizado, e quando tentamos ser multitarefas a pesquisa mostrou que a inteligência diminui. Nosso sistema de atenção não tem a capacidade de fazer um monte de tarefas importantes e exigentes ao mesmo tempo. Nossa mente inconsciente é muito mais rápida do que a mente consciente, por outro lado, vai muito além de ser sinônimo de processamento multitarefas e nos permite conversar e dirigir um carro, cozinhar e conversar com amigos e assim por diante. É por isso que muitos cientistas apontam que a multitarefa é um mito. O que geralmente fazemos quando pensamos que somos multitarefas é, na verdade, alternar entre as tarefas de uma maneira muito ineficiente. Isso pode ser exaustivo porque todo o cérebro é recalibrado por uma nova tarefa, que tem um custo energético. Isso significa que você está mais propenso a cometer erros cognitivos.

Mas isso pode mudar?
Podemos aprender conscientemente como gerenciar nossa atenção e escolher no que prestar atenção, em vez de pular de uma tarefa para outra. Isso pode ser algo tão simples quanto escolher colocar o telefone no modo silencioso durante uma reunião ou pedir às pessoas que não o perturbem enquanto você trabalha em um prazo.

Como reprogramar o cérebro diante de tantos estímulos tóxicos, sem correr o risco de voltar ao estado anterior, de pensamentos negativos e sobrecarga mental?
O gerenciamento da mente é um estilo de vida, não uma solução rápida. Nossa mente nunca para, por isso precisamos aprender a gerenciá-la constantemente. Quanto mais fazemos isso, mais autorregulados nos tornamos. Minha pesquisa e experiência clínica mostraram que, para evitar voltar a estados anteriores de toxicidade e sobrecarga mental, precisamos fazer do gerenciamento da mente um estilo de vida. A mudança de comportamento não acontece em um ou quatro dias. Ocorre diariamente em ciclos de 63 dias, o que tenho demonstrado e aplicado terapeuticamente ao longo de mais de três décadas. Isso inclui 7 a 15 minutos de autorre-gulação direcionada todas as manhãs.[PERG_ENTR]<EM></CW>

Como uma melhor organização da mente vai na raiz de males como ansiedade e depressão, que afetam parcela cada vez mais significativa da população mundial?
A física quântica aponta para algo que todos sentimos intuitivamente: que nossos pensamentos conscientes têm o poder de afetar nossas ações. Quando você começa a entender como sua mente funciona e como usar o gerenciamento da mente para lidar com essa consciência e mudar seu cérebro, você pode criar uma mudança sustentável em sua vida, chegando à raiz de seus problemas e não apenas aos sintomas. Demonstramos em nossos ensaios clínicos <CW-15>mais recentes que você pode se sentir no controle de sua mente, o que pode aumentar seus sentimentos de controle sobre sua ansiedade em até 81%. Quando você reconhece o poder do gerenciamento da mente, você pode ir além da perspectiva de “o destino está contra mim”. Você reconhecerá que a vida pode ser difícil e que coisas ruins acontecem, mas que você construiu o alicerce mental necessário para manter sua base em meio à tempestade.

Que caminhos simples você aponta para fazer a faxina mental e, com isso, reenergizar o cérebro?
A limpeza mental é o gerenciamento da mente, onde você desintoxica padrões estabelecidos de trauma e gerencia os desafios do dia a dia. A gestão da mente nos liberta! Uma das melhores maneiras de praticar é usar o Neurociclo, um sistema científico de cinco etapas dirigido à mente que desenvolvi e pesquisei nas últimas três décadas. É projetado para ajudá-lo a mudar os padrões neurais no cérebro. As cinco etapas são: reunir, refletir, escrever, verificar novamente e alcançar ativamente. Precisam ser feitos nesta ordem, pois cada um é cientificamente projetado para reconectar o cérebro para uma mudança sustentável (mais informações no livro e no App Neurocycle).[PERG_ENTR]

Seu método ajuda a administrar reações emocionais aos acontecimentos, equilibrando autoestima, por exemplo, ou fortalecendo resiliência?
Sim, o Neurociclo é uma maneira científica eficaz de aprender como se tornar um respondedor versus um reator à vida, o que inclui aprender como melhorar sua autoestima, encontrar sua identidade única e construir sua resi-liência. 

(*) Com Iracema Barreto

Leia também:
Neurocientista cria método para organizar a desordem mental e afastar ansiedade e ideias tóxicas
Autodidata digital: conteúdos na web ajudam a aprender mais e melhorar currículo