Uma foto com supostos fantasmas da segunda guerra mundial está fazendo sucesso nas redes nesta semana. Na imagem, feita pelo major John Tulloch, aparece homens em fila, relembrando o episódio que aconteceu há quase sete décadas na região e Bornéu, na Indonésia, a marcha da morte de Sandakan, em 1945.

Tulloch refazia os passos de prisioneiros de guerra aliados durante a segunda guerra mundial. Na foto, o reflexo do vidro parece formar a imagem de seres esqueléticos, curiosamente no mesmo lugar onde 2.400 militares australianos e ingleses foram obrigados por soldados japoneses a caminharem por 257 Km, enquanto muitos morriam pelo calor, exaustão ou eram degolados ou perfurados por baionetas japonesas. Apenas seis prisioneiros sobreviveram, mas porque conseguiram fugir.

Entretanto, o jornal “Daily Mail” publicou que a foto, tirada em 2010, pode ser apenas uma ilusão fotográfica causada por uma toalha estampada no painel do veículo, no momento em que a imagem foi feita. Junto com os militares, havia também 3.600 civis indonésios, que também foram forçados a marchar entre as regiões de Sandakan e Ranau.