SÃO PAULO - A ex-editora do tabloide britânico "News of the World" Rebekah Brooks afirmou, no segundo dia da audiência sobre os escândalos do jornal, que chegou a pagar 1 milhão de euros (cerca de R$ 3,91 milhões) por trechos antecipados da autobiografia do jogador David Beckham.

Brooks usou o caso para exemplificar o investimento alto do jornal em material exclusivo. Ela enfrenta acusações de escutas ilegais feitas pela equipe do "NOTW" sob sua aprovação, pagamentos ilegais a autoridades, quando dirigia o tabloide "The Sun", da mesma empresa, e tentativa de ocultar evidências durante o escândalo das escutas, em 2011.

A ré nega todas as acusações. O "NOTW", editado pela empresa do magnata da comunicação Rupert Murdoch, foi encerrado em 2011, quando o escândalo das escutas ilegais veio à tona, espantando os anunciantes.

O 1 milhão de libras pago a Beckham se referiam tanto aos direitos de publicação de trechos de seu livro quanto a uma coluna sua no "Sun", pertencente ao mesmo grupo, afirmou Brooks à corte.

Entre as outras exclusivas que consumiram altas cifras do jornal, Brooks citou uma única foto de Madonna, pelo qual teria sido pago entre 15 mil e 20 mil (entre R$ 58 e 78 mil). Uma reportagem sobre gêmeos siameses também teria custado até 60 mil.

De acordo com a ré, caso um pagamento superasse os 50 mil semanais à disposição do veículo, ela telefonava para Les Hinton, chefe-executivo do "Sun" e do "NOTW", para que a quantia fosse liberada.

A audiência entrou hoje em seu segundo dia e continua em andamento.