O entusiasmo de Dona Olga, de 85 anos, é perceptível, do outro lado da ligação: “Eles são demais. Todo mundo gosta deles”. “Eles”, a quem a moradora do Lar Dona Paula se refere, são a Sociedade do Riso, formada por palhaços voluntários em hospitais, lares de idosos e espaços com pessoas em situação de vulnerabilidade. “De 15 em 15 dias, eles vinham fantasiados aqui. Tem um altão, uma baixinha, um de mais de idade, uma senhora que foi embora para São Paulo... Eles cantavam e faziam muitas piadas”, prossegue a senhora.

Infelizmente, por conta da pandemia, momentos assim tiveram que ser adiados. Mas se engana quem pensa que Olga e tantos outros admiradores do grupo deixarão de rir e sorrir com a turma da palhaçaria. Se presencialmente os encontros se tornaram inviáveis por enquanto, virtualmente a Sociedade do Riso segue ativa, levando alegria e conforto ao asilo e outras instituições.

Palhaços

O corpo de palhaços tem programada uma série de ações on-line para este semestre, com uma live a ser realizada nesta sexta-feira (28), no Dia Nacional do Voluntariado, a partir das 19h, no Instagram da Sociedade do Riso e do Armatrux. Isso sem contar as videochamadas e serenatas também previstas para este dia e os próximos meses.

“A potência do palhaço continua sendo a presença. Nunca vou dizer que (ações on-line) são a mesma coisa que (a visita) presencial. Mas é muito bonito e muito forte ver que, mesmo através dessa pequena tela do celular, conseguimos fazer uma conexão com as pessoas do outro lado. E poder transformar a energia das pessoas e ver o brilho no olho de cada uma delas”, destaca Rodrigo Robleño, palhaço, idealizador e coordenador artístico do projeto.

Palhaços

Com o apoio do Instituto Unimed-BH, a Sociedade do Riso atualmente conta com mais de 60 palhaços, entre artistas profissionais e médicos voluntários, como Terezinha Valéria Ferreira. “Sempre tive o trabalho voluntário na minha vida como uma parte que não pode faltar. A Sociedade do Riso veio como um grande ganho na minha vida. É um outro astral. A gente sai do nosso dia a dia de hospital e entra em outra realidade. Levamos alegria e um pouco desse riso. E a arte da palhaçaria tem me ensinado muitas coisas”, afirma a médica cirurgiã e que também se dedica aos cuidados paliativos.

Que a Sociedade do Riso possa colocar no semblante das pessoas o mesmo sorriso e a mesma emoção que Dona Olga levou à equipe do Hoje em Dia. “Tem que tomar cuidado com a Covid-19. Eu peguei, não foi muito forte, mas não é brincadeira. Dormi direitinho e me alimentei. Agora continuo fazendo meu artesanato. Vou aproveitar e fazer um presente para vocês”, prometeu a simpática senhora.

Palhaços