Fãs inveterados de Cazuza (1958-1990), os irmãos Rogério Flausino e Wilson Sideral farão uma live baseada no repertório do cantor e compositor carioca, nesta quinta-feira, às 19h, a ser transmitida pelo canal do YouTube do Minas Tênis Clube

O evento virtual também será especial, por representar uma homenagem ao Dia das Mães.

A dupla mineira fará um tributo a vários hits de Cazuza, incluindo clássicos da fase em que o artista carioca atuou como frontman do Barão Vermelho e da carreira solo.

Sideral e Flausino são profundos conhecedores da obra do “Exagerado” e já dedicaram tributo ao ídolo em outras ocasiões. Uma delas, bastante especial, se deu em 2018, no ano em que o cantor celebraria seis décadas se estivesse vivo. Eles se apresentaram no Circo Voador, no Rio de Janeiro, para entoar a poesia musical de Cazuza.

“Esses dois mineirinhos são umas graças, uns amores, além de talentosos. Os dois sabem tudo do Cazuza, de cabo a rabo. Sabem muito mais do que eu, conhecem todo o repertório”, declarou a mãe de Cazuza, Lucinha Araújo, àquela época.

Dupla

História

Filho de João Araújo (1935-2013), produtor fonográfico, e de Lucinha Araújo (1936), Cazuza bebeu da fonte de artistas como Cartola, Dolores Duran, Noel Rosa e Maysa, tornando-se um dos principais poetas da música brasileira.

Dono de uma veia irreverente e um discurso feroz em determinados momentos, romântico em outros, esteve presente em três álbuns do Barão Vermelho: “Barão Vermelho” (1982), “Barão Vermelho 2” (1983) e “Maior Abandonado” (1984).

Depois disso, seguiu em carreira solo, obtendo grande reconhecimento com os discos “Exagerado” (1985), “Só se For a Dois” (1987), “Ideologia” (1988), “O Tempo Não Para” (1989) e “Burguesia” (1989).

Em 1991, foi lançado um material póstumo do artista: “Por aí”, contendo faixas que sobraram das sessões de estúdio.

Cazuza faleceu em 7 de julho de 1990, devido a um choque séptico causado pela Aids.