2017 é um ano especial para o Tianastácia, onde o calendário está recheado das chamadas datas redondas. São 20 anos de carreira (na verdade, duas décadas com a formação “clássica”, que incluí Podé e Maurinho nos vocais); o lançamento do décimo disco e, numa seara particular os 50 anos de Maurinho.

“É uma vida né cara?”, resume o novo “coroa” do pedaço. “Quando a gente começa uma coisa, não fica pensando onde vai dar. E quando chegamos agora, vem aquele ‘Porra, acho que acertei na minha escolha, o que resolvi fazer com minha vida’”, comemora.Cinquentão, mas com fôlego de iniciante, Maurinho garante que a brasa rock do grupo ainda tem muito para queimar. O que significa que faíscas devem esquentar a Autêntica hoje, no lançamento do novo disco do grupo, “Escorrega 1 Cai 5”.

Segundo o vocalista, o álbum é uma espécie de celebração ao modo Tianastácia de ser, a começar pelo título. “É uma brincadeira interna nossa, de uma situação muito frequente. Por exemplo, pinta um show e aí combinamos de segurar um pouco a onda da bebida. Aí, na estrada, no caminho, logo no primeiro posto de gasolina, um já volta com uma latinha. No próximo posto, voltam os cinco pro carro com cerveja”, ri. Ampliando o espectro, o título também cai bem no contexto brasileiro atual. “Ficou muito verdadeiro né? Hoje, um político é pego, escorrega mais um monte”.

O conteúdo musical também reflete as duas décadas de rodagem do grupo na estrada do rock, gênero que marca a discografia e os shows da banda. “Tiveram discos que demos uma desvirtuada, pelo menos é o que parte do público diz”, se diverte Maurinho. “Experimentamos, sempre fizemos o que achávamos que tínhamos que fazer. Nunca negamos as mudanças. Mas seguramente somos uma banda de rock, não tem como fugir”, garante. Segundo ele, o melhor argumento para esta declaração é o novo álbum, “uma volta ao Tianastácia das antigas”. O que isso significa? Diversões como “Pocuspir”, “Voando Alto” e “41 Riffs”.

Tem espaço também para rocks politicamente incorretos, bem humorados, como “Não Interessa, Eu Tô Pegando (Tô Pegando)” e “Rock Dos Piru”. A primeira, “muito machista”, como o próprio reconhece, mas sempre em “tom de brincadeira e sacanagem”, quase colegial. A segunda, pró-gay, é uma espécie de antídoto: pega a referência à “Rock das Aranhas” de Raul Seixas e expande para os tempos de hoje. “Cada um tem que fazer o que quiser, se feliz da forma que escolher”, diz Maurinho. “Como diz a letra: todo mundo quer ser feliz e ter a liberdade pra fazer o que sempre quis”. E assim segue também o Tianastácia.

Serviço: Show Tianastácia. Hoje, às 22h, na A Autêntica (Rua Alagoas, 1172–Savassi). Ingressos: R$ 20,00