Através de um olhar atento, apurado em quase 40 anos de profissão, o fotógrafo e jornalista Marcelo Prates enxergou verdadeiras obras de arte em "pedaços" de pichações. O resultado são nove fotografias feitas com seu iPhone, reunidas na exposição "Fragmentos", que pode ser conferida a partir desta quinta-feira (4), até dia 27 deste mês, na Galeria Nello Nunes da Fundação de Arte de Ouro Preto (Faop).

Esse é o segundo trabalho que Prates faz inserido nas artes digitais. O primeiro foi "Traços e Rabiscos". A ideia, agora, é mostrar a parte estética/artística das pichações. "São as cores, o movimento. Gostaria de mostrar como esses pichadores podem extrair arte dos próprios rabiscos. São figuras que se transformam em obras de arte", destaca.

Prates comenta que todas as pichações têm uma linguagem num tom mais agressivo e que ele, com seu trabalho, as transformou num tom artístico e, consequentemente, mais leve.

Com curadoria de Sérgio Rodrigo Reis, o trabalho consiste numa série de mega fotografias (110 x 110cm) feitas com iPhone. As imagens se assemelham às pinturas e, em função do tamanho, parecem quadros.

São instigantes, com um enquadramento que mostra a espontaneidade do clique do fotógrafo. Nos bastidores, mostram ainda as novidades dos suportes fotográficos.

Máquina e celular

Incansável e um apaixonado pela profissão, Prates não perde um clique por onde passa. A máquina, e agora o celular, chegam a ser quase uma extensão de seu corpo.

O fotógrafo, do Hoje em Dia, já ganhou vários prêmios por seus trabalhos, entre eles o Internacional Nikon (1987), o de Fotografia Contemporânea da América Latina (Cuba, 2001), o SSF Word Photo Conteste (Japão, 2002) e o da National Geographic (2003).

Interessado nas questões ambientais, o jornalista fixou suas lentes em semáforos, monumentos, muros, prédios e outros logradouros públicos em busca de espécies para ilustrar o livro "Pássaros da Liberdade", lançado em 2009. A obra traz 300 fotos de pássaros com textos poéticos dos jornalistas Nilseu Martins e Roberto Mendonça, que buscaram, por meio das palavras, retratar a beleza das fotos e mostrar os costumes e adaptações vividas por estas aves.

Apagamentos

Junto com Prates e sob a mesma perspectiva de fragmentos que se transformam com o tempo, o designer gráfico e mestre em artes visuais Marcelo Borges apresenta a mostra "Apagamentos".

Na série de imagens capturadas em muros e paredes, ele faz registros de escritas ou vestígios dessas aplicações.

O trabalho mostra palavras que, no momento de sua escrita, tinham intenção precisa de comunicar e que tentam sobressair mesmo com as intempéries.

Prates ressalta o prazer em expor junto a Borges, uma vez que seguiram a mesma trajetória. "Ele na ótica das letras e eu nas formas e conteúdos".
 



Serviço

"Fragmentos", de Marcelo Prates, e "Apagamentos", de Marcelo Borges. Galeria de Arte Nello Nuno – Fundação de Arte de Ouro Preto (Rua Alvarenga, 694, Bairro Cabeças, em Ouro Preto). De segunda a sexta, das 12 às 18 horas, e aos sábados, das 9 às 14 horas. Em cartaz até 27/10.