Sete meses após envolver-se em uma polêmica ao realizar um comentário político durante o espetáculo "Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos", baseado nas obras do escritor e compositor Chico Buarque, o diretor e ator Claudio Botelho chamou novamente a atenção, desta vez por seus comentários sexistas e transfóbicos, gerando represália nas redes sociais. 

Uma imagem reproduzida pelo "Jornal do Brasil" mostra comentários de Botelho no Facebook, criticando a escolha da atriz transgênero Laverne Cox para o papel de Dr. Frank-N-Furter na adaptação de "The Rocky Horror Picture Show" para o canal de TV norte-americano Fox. A história também foi divulgada pelo blog "Teatro em Cena". 

Seguindo um comentário de seu parceiro profissional Charles Möeller, que nomeou a nova produção de "Rocky Pavor Glee Show", em referência à série "Glee", Botelho escreveu: "Na Disney tem essas trans também? Eles vão refilmar 'A Branca de Neve'? Eu queria sugerir um garoto aqui do meu prédio que é bicha, mas a mãe acha que pega mal, então estão inventando que ele é TRANS, porque diz que é a mesma coisa que bicha, mas é chique." 

Em um segundo comentário, o diretor acrescentou que "esse tipo de coisa tá se propagando porque os pais não batem mais nos filhos". "Falta surra", afirmou, dizendo que, desta maneira, "elas pelo menos sabem que é errado e vão dar para o amiguinho da  escola pra se vingar, não ficam inventando que são trans, se dedicam logo a arrumar homem e param de querer holofote". 

A reportagem procurou os comentários, mas não os encontrou. O jornal afirma que eles teriam sido apagados, após críticas nas redes sociais. "Cláudio Botelho, existe muito mais amor nesse mundo do que pode imaginar sua pequena cabeça de merda! Boicote geral ao trabalho desse 'diretor'", escreveu um usuário do Facebook.  "Que coisa triste. Möeller e Botelho me fizeram apreciar teatro musical, ele nem se tocou mas deve ter perdido boa parte do público que espera pelas produções dele", disse outro na mesma rede social. 

No twitter, leitores da notícia também repercutiram a notícia. "Dá pra acreditar que essa pessoa era considerada 'rei do teatro musical' no Brasil? Cláudio Botelho é NOJENTO, e BURRO e PATÉTICO", dizia uma publicação.  Procurado pela reportagem, o diretor Claudio Botelho não foi encontrado. 

CHICO BUARQUE 

Durante uma apresentação do espetáculo "Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos", em março, Claudio Botelho usou uma das falas de seu personagem para criticar os ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff. 

O personagem de Botelho critica a população de uma cidade pequena, que não havia ido à apresentação de sua trupe: "Era a noite do último capítulo da novela das oito. Era também a noite em que um ladrão ex-presidente talvez tenha sido preso. Ou uma presidente ladra recebeu o impeachment?". 

A fala foi mal recebida por parte da plateia, que vaiou a apresentação e gritou "não vai ter golpe". O elenco tentou retomar a apresentação, mas não conseguiu, e os ingressos foram reembolsados. 

Após a confusão, outra polêmica fala do diretor, gravada no camarim, divulgada na internet. No áudio, ele afirmou que aqueles que o vaiaram "são neofascistas, são escrotos, são petistas, são o que há de pior no Brasil" e "gente que peita um ator que está em cena. Um ator que está em cena é um rei, não pode ser peitado. Não pode ser peitado por um negro [ou 'nêgo', segundo o diretor], por um filho da puta que está na plateia. Eu estava fazendo uma ficção." 

O improviso desagradou Chico Buarque, historicamente alinhado ao PT, que afirmou que Botelho não poderia mais usar suas obras em outras produções.  

Naquela época, o diretor chegou a se desculpar pela falta de compostura e se dizer envergonhado pelos acontecimentos.