A atriz Cleo Pires se uniu, nesta sexta-feira (16), à Humane Society International (HSI), uma das maiores organizações globais de proteção animal, para convidar os consumidores a fazer escolhas mais compassivas e rejeitar os ovos produzidos por galinhas confinadas em gaiolas em bateria. No Brasil, cerca de 95% das galinhas usadas na produção de ovos em escala comercial passam suas vidas inteiras confinadas em gaiolas de metal tão pequenas que elas não podem sequer andar ou esticar suas asas.

“Eu fiquei chocada quando a HSI me mostrou como os animais são tratados na produção de ovos no Brasil. Estou feliz por ter narrado o filme da organização ‘Ovos: Gaiolas versus Livres-de-Gaiolas’(http://www.hsi.org/ovos) e espero que ele informe muitas pessoas sobre a origem dos nossos alimentos. Tenho certeza de que muitos brasileiros também serão contra o tratamento extremamente desumano ao qual as galinhas são submetidas depois de assistir ao vídeo e farão escolhas mais éticas na hora de comprar alimentos”, disse Cleo.

Carolina Galvani, gerente sênior de campanhas de animais de produção da HSI no Brasil, disse: “É realmente muito gratificante trabalhar com a Cleo Pires na conscientização sobre a realidade da produção de ovos no Brasil. O confinamento por toda a vida de galinhas poedeiras em gaiolas em bateria é uma das práticas mais cruéis da pecuária. Por isso, nós convidamos os consumidores a fazerem a diferença ao deixar os ovos produzidos por galinhas engaioladas fora de seus pratos”.

O filme da HSI “Ovos: Gaiolas versus Livres-de-Gaiolas” contém imagens de granjas de ovos da cidade de Bastos, maior polo da produção nacional, e também mostra imagens de granjas brasileiras que não usam gaiolas e vendem seus ovos com certificação de bem-estar animal ou com os rótulos “caipira” ou “orgânico”. O filme aborda ainda os problemas de saúde pública, como o maior nível de contaminação por salmonela em sistemas de confinamento intensivo em gaiolas.