"Davi tinha um exército atrás dele tentando mata lo e mesmo assim ele diz: deitarem ei e logo pego sono pois o Senhor me faz repousar! Eu creio!!! Final de Agosto em todas livrarias do Brasil. (SE EU MORRER POR CAUSA DAS INFORMAÇÕES DESSE LIVRO... SEI QUE MINHA ALMA ESTÁ EM PAZ)", escreveu nessa terça-feira (4), no próprio perfil do Facebook, ex-modelo Andressa Urach.

Com a declaração, Andressa divulgou as capa e contracapa do livro de memórias dela, intitulado "Morri Para Viver" (Editora Planeta) e informou que a publicação já está na pré-venda por R$ 36,90. A previsão é de que o lançamento aconteça dia 20 de agosto. O livro vai trazer aviso de que o conteúdo é "impróprio para menores de 16 anos".

"Confesso que foi preciso coragem para contar tudo. Venci a vergonha de um passado sujo para tentar estender a mão para quem se considera em um beco sem saída. A partir do final de agosto, viajarei pessoalmente para lançar 'Morri para Viver' nas principais livrarias do Brasil. Espero ter a honra de receber a visita de cada de um de vocês!", continuou a ex-modelo, em outro post.

Programas eram contratados por famosos

No livro sobre sua trajetória de "fama, drogas e prostituição", Andressa Urach, que diz ter sido uma das garotas de programa mais caras e desejadas do país, conta que cobrava R$ 15 mil por duas horas de sexo.

Esta realidade certamente continua a alimentar o luxuoso mercado de prostituição hoje, mas com outras jovens ambiciosas - e iludidas - novas protagonistas em busca de fama. Nos relatos que antecipou, ela diz que esteve com "centenas, talvez milhares de homens" e que muitos deles eram famosos.

"Morri Para Viver" fala da vida de uma celebridade de corpo escultural que foi de vice-Miss Bumbum a evangélica, depois de quase morrer por causa de uma infecção.

Trechos do livro já foram divulgados pelo jornal britânico "Daily Mail": "Protagonizei as cenas mais humilhantes para qualquer ser humano. Eu encontrei satisfação em infligir e receber dor em atos sexuais. Estava obcecada com o prazer em ser submissa e joguei fora minha honra como um pedaço de lixo".

Andressa conta ainda que se encontrava clientes em casas noturnas, onde fazia presenças vip. "Eu dava um sim ou não para cada proposta antes de fechar o negócio. Havia uma regra: jantar, fotos ou vídeos não eram permitidos. Ficava duas horas dentro do quarto de hotel e o pagamento tinha de ser feito antes do sexo".

 

andressa urach

 

 

Cristiano Ronaldo, um suposto cliente

O suposto caso amoroso com o jogador português Cristiano Ronaldo também é retratado no livro. Andressa diz que, em 2013, recebeu uma ligação do atleta. "Você é realmente a Miss Bumbum do Brasil?", teria perguntado ele. Ela, então, teria viajado até Madri para passar uma noite com o atleta em um hotel. "Eu não queria saber de ser paga nessa viagem", conta.

Andressa diz que o jogador foi "agressivo" na cama e que a deixou por três horas trancada no quarto para manter a discrição do encontro. Por vingança, ela conta, divulgou a história a um jornal inglês. Cristiano, que na época namorava a modelo Irina Shayk, sempre negou o affair.

Do hidrogel à redenção

A biografia falará ainda sobre o vício em cirurgia plásticas, que a deixou internada em estado grave em 2014. A ex-modelo foi submetida a uma série de cirurgias para eliminar o hidrogel, produto que aplicou nas coxas para deixá-las mais grossas.

Em fevereiro, pouco tempo depois de sair do hospital, foi batizada na Igreja Universal e assinou contrato com a Record. O livro sobre a vida de Andressa é escrito pelo vice-presidente de jornalismo da emissora, Douglas Tavolaro.

A Editora Planeta informa que a publicação terá tiragem de 1 milhão de exemplares - metade já foi impressa - número bem superior a de grandes best-sellers, que no país têm tiragem inicial na casa das 200 mil cópias. A editora finaliza negociações para lançar a história também em países europeus.

*Com agência.

 

Hoje em Dia