A convocatória encerrou-se em março. O resultado poderá ser conferido na capital mineira nesta quarta-feira (15) e nesta quinta-feira (16), com a exibição na fachada digital do Espaço do Conhecimento UFMG, na Praça da Liberdade (19, 19h30 e 20h); e, desta quinta-feira (16) a 19, no Sesc Palladium, nos locais de circulação entre o teatro, café e galeria de arte (das 9 às 21h). “Cidades Descaradas”, a intervenção em questão, propõe um mapeamento de situações ordinárias capturadas da vida cotidiana. O projeto foi viabilizado pelo Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais – 11ª edição e tem, à frente, a artista visual e jornalista, mestre em Poéticas Visuais, Viviane Gueller. Depois de Belém, a iniciativa chega, em formato distinto, à capital mineira tendo uma artista local como “anfitriã”: Janaína Rodrigues.

Funcionou assim: pessoas interessadas em participar enviaram gravações de sons com até três minutos de duração (ruídos, vozes, leituras) ou vídeos de até cinco minutos (cenas urbanas, rurais, domésticas). A edição ficou a cargo de Viviane, que diz ter recebido um volume considerável de material (inclusive de países como Estados Unidos e Colômbia).

O resultado totaliza algo em torno de dez minutos, mas não foi tarefa das mais fáceis. Isso porque Viviane norteou-se pela tentativa de não limar nada. “A gente não quis fazer um trabalho de curadoria, inclusive pelo fato de o trabalho propor a inclusão, e não a exclusão”, argumenta ela, que coleciona um arquivo audiovisual de situações inusitadas.

Saiba mais: Facebook ascidadesdescaradas.