Se fosse há algumas semanas, poderíamos dizer que as possibilidades de “Boyhood - Da Infância à Juventude” ganhar o Oscar, nesse domingo (22), cairiam drasticamente. Mas os votos dos acadêmicos já foram computados e a acusação de plágio não deve prejudicar o filme de Richard Linklater na premiação.
 
A afirmação foi feita pelo jornal “The New York Times”, num artigo da editora do caderno de Cultura, Mary Jo Murphy, que vê muitas semelhanças entre “Boyhood” e a série “Up!”, do diretor inglês Michael Apted, já indicado ao Oscar por “Nas Montanhas dos Gorilas” e que também já assinou um filme da franquia 007 (“O Mundo Não é o Bastante”).
 
O aspecto comum aos dois trabalhos está, principalmente, em sua estrutura narrativa, acompanhando o passar dos anos dos protagonistas de forma realista, filmando fragmentos da história com o avançar da idade dos atores. “Boyhood” foi feito ao longo de 12 anos, enquanto “Up!” levou 50 anos.
 
O primeiro é uma ficção, com elenco formado por Ethan Hawke e Patricia Arquette, enquanto o segundo é um documentário sobre crianças inglesas. O diretor Nikita Mikhalkov usou expediente semelhante em “Anna dos 6 aos 18”, em que faz uma série de perguntas à filha de 1979 a 1991, quando o cenário político e social da ex-União Soviética mudou completamente.
 
No mês passado, a série “Felizes para Sempre”, exibida na Rede Globo, também foi criticada por “copiar” uma cena do filme “Anticristo”, do dinamarquês Lars Von Trier. Nos dois, um casal faz amor no mesmo instante em que o filho, deixado sozinho, morre - caindo de uma janela em “Anticristo” ou se afogando na piscina, no programa brasileiro.
 
Grande ganhador do Oscar de 2010, “Avatar” também passou pela mesma situação. O diretor canadense James Cameron sofreu três processos judiciais, mas ele venceu em todos eles. Outro filme “oscarizado”, o francês “O Artista” (2011), que teria se inspirado num roteiro do escritor Christophe Valdenaire.
 
Recentemente a Disney foi acusado de plágio por uma cena de “Frozen”. Aliás, por uma sequência que é exibida apenas em SEU trailer, quando o boneco de neve briga com um alce para poder ficar com seu nariz de cenoura. No curta “Snowman” (2009), a trama é idêntica, trocando o alce por um coelho.