A suavidade sonora de cada instrumento clássico, por si só, já é encantadora. Somado a um local com acústica voltada totalmente para este tipo de apresentação, a sonoridade se torna ainda mais bela.

Foi essa a constatação do primeiro ensaio experimental da sala de concertos onde será a sede da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais. O evento foi realizado ontem. Já praticamente pronto, o espaço - na Estação da Cultura Presidente Itamar Franco - está na fase final de ajustes.

“O grande diferencial é que essa sala não é uma adaptação. Ela foi construída especialmente para receber uma orquestra”, destacou o diretor artístico e regente titular da Filarmônica, Fabio Mechetti.

O espaço passará ainda por outros testes e a inauguração será em fevereiro do ano que vem. A série 2015 de concertos já será na casa nova a partir do mês de março. “Esta sala vai colocar Belo Horizonte no roteiro internacional da música clássica”, destacou o governador de Minas Gerais, Alberto Pinto Coelho.

Outra novidade é que o número de apresentações vai aumentar: para o próximo ano estão previstas 57, inclusive com concertos aos sábados, que não ocorriam até então.