Efemérides marcam a programação do Fórum das Letras de Ouro Preto, entre os dias 29 deste mês e 2 de novembro. Os 50 anos do golpe militar no Brasil, os 200 anos da morte de Aleijadinho, o centenário de nascimento da escritora Carolina Maria de Jesus, entre outros, que inspirarão debates.

Neste ano, 100 autores convidados se encontram com o público. Na abertura, a cantora e também autora gaúcha Adriana Calcanhotto apresentará o show “Olhos de Onda”, às 20h30, no Cine Vila Rica (onde acontece a maioria dos encontros), seguido de debate com a artista.

O Fórum terá agenda do Ciclo Jornalismo e Literatura, Fórum das Letrinhas, Fórum das Letras Jurídicas, Ciclo de Debates e, uma novidade para o público jovem: a #DasLetras. Neste, participam das mesas o roqueiro e escritor Tico Santa Cruz (dia 30/10), o ator e colunista Gregório Duvivier (31/10), o escritor Fabrício Carpinejar (1º/11) e o escritor “periférico” Ferréz (1º/11).

O tema “Escritas em Transe” faz referência à uma dessas “datas redondas” lembradas em 2014. Inspirado no filme “Terra em Transe” (1967), do cineasta Glauber Rocha (1939–1981), o tema faz ligação com os debates sobre o golpe militar e as eleições diretas. “É um tema bastante aberto”, diz a coordenadora do Fórum Guiomar de Grammont.

“É um fundamento inconsciente da escrita como uma manifestação de forças do ser humano com seus semelhantes. ‘Escritas em Transe’ remete ao movimento permanente da escrita em todos os tempos”, explica.

Abrigo literário

Na abertura do Fórum, será anunciada a primeira Casa de Refúgio do Brasil e também da América Latina. O local, sediado na cidade histórica, será capaz de receber escritores refugiados de todo mundo, vítimas do cerceamento da liberdade de expressão em seus países. A iniciativa é uma parceria da Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop), International Cities of Refuge Network (Incorn) e órgãos governamentais.