A expressão savoir-faire se aplica com perfeição a Marisa Monte, o que sua mais recente investida – o CD e DVD “Verdade Uma Ilusão – Tour 2012/2013” (lançamento Universal Music) – tratam de abalizar. Impressiona como a artista parece ter todo o domínio de cena, de sua localização no palco ao efeito que a iluminação produz em sua atraente e esguia figura, cool até a medula.

Tudo parece ter sido milimetricamente estudado, dando a entender que os profissionais que passaram pela ilha de edição não tiveram, assim, tanto trabalho, ao final das contas. A iluminação é um destaque à parte, e enfatiza os tons de azul, tendo como contraponto o momento em que ela coloca a voz a serviço de “Arrepio”, de Carlinhos Brown, no qual os tons terrosos se sobressaem. As projeções são outra cereja do bolo, e basta olhar os créditos (mineiros inclusos) para se entender o porquê: Luiz Zerbini, Cao Guimarães & Rivane Neuenschawander, Mana Bernardes, Marilá Dardot, Tunga, José Damasceno e afins. A banda que a acompanha é outro luxo – nela se sobressai o sempre competente Dadi, além de um naipe de cordas.

Entre os vários hits, como “E.C.T” ou “Não Vá Embora”, um destaque recai sobre a italiana “Sono Come Tu Mi Vuoi”, cuja letra dá voz a uma mulher que se dirige ao amado, por seu turno indiferente ao que está a apenas “dois passos”. Repare que Marisa se dá ao direito da célebre mãozinha italiana, enquanto dança sensualmente. “Lencinho Querido (El Panuelito)” e “Ilusão”, da colega Julieta Venegas, são outros bons momentos.