Tomie Ohtake está bem, obrigada. "Trabalhando, fazendo esculturas... Só neste final de semana, chegaram, a seu ateliê, mais quatro peças (por ela projetadas)", diz um simpático Ricardo Ohtake ao telefone, de São Paulo. O filho da artista, que está à frente do Instituto Tomie Ohtake, chega nesta terça-feira (22) à capital mineira para a inauguração (para convidados) da galeria de arte do Centro Cultural Minas Tênis Clube (rua da Bahia, 2.244, Lourdes, Piso 5– fone: 3516-1027). Na quarta (22), a mostra – a primeira a se realizar fora de São Paulo neste ano de comemorações do centenário da artista – poderá ser submetida ao aval do público, seguindo até o dia 2 de fevereiro de 2014.

São aproximadamente 50 obras entre pinturas, gravuras e esculturas. "Não é uma retrospectiva, mas um recorte importante", frisa Ricardo, que fez questão de mostrar à genitora as imagens do local – uma vez que Tomie Ohtake não poderá vir à capital mineira. "Ela viu as fotografias, ficou impressionada. Fiz questão de passar para ela a sensação que tive quando entrei lá, como se estivesse num verdadeiro palco – talvez porque quem tenha feito o projeto tenha sido o Paulo Pederneiras (junto a Fernando Maculan). Inclusive foi ele quem indicou a Tomie na galeria. E tem as portas que se abrem, tem uma iluminação muito interessante que vem de dentro, onde foram colocadas as esculturas", descreve o ex-secretário de Estado de Cultura de São Paulo.

Centenário

Feliz com as homenagens ao centenário da mãe – que serão completados no dia 21 de novembro – Ricardo ressalva a importância da cidade para a artista. "Em 1966, ela participou do Salão Nacional de Artes de BH, onde ganhou o Grande Prêmio e, claro, ficou muito emocionada. Mais recentemente, fez a grande escultura na praça em frente à Usiminas, que tem um balanço todo particular. É uma obra super dinâmica, ela gosta muito".

Na verdade, a obra em questão é a única urbana de Tomie Ohtake na capital mineira – situa-se na Praça Pedro Melo, em frente à sede da Usiminas, na Pampulha. Em Ipatinga, outra obra da artista também foi instalada. Nascida em Kioto, Japão, e naturalizada brasileira, Tomie só iniciou a carreira aos 40 anos, depois de criar dois filhos – além de Ricardo, Ruy Ohtake.

Visitas: de terça a sábado, de 10 às 20 horas. Domingo, de 11 às 19 horas. Até fevereiro de 2014.