CIDADE DE GOIÁS – Os atores americanos estão receosos em trabalhar em “Nemesis”, próximo filme do diretor brasileiro Fernando Meirelles. As filmagens começariam em setembro, mas, devido à falta de um protagonista, foram adiadas para março de 2014.
 
É o segundo adiamento sofrido pela produção (a primeira data foi março desse ano), que levará para as telas a adaptação do livro “Nemesis: The True Story of Aristotle Onassis, Jackie O. and the Love Triangle That Brought Down the Kennedys”, de Peter Evans. 
 
“Temos um bom roteiro, escrito por Braulio Mantovani, que trabalhou comigo em ‘Cidade de Deus’. Temos dinheiro, da produtora franco-inglesa Pathé. Com tudo na mão, não consigo achar um ator para fazer Onassis”, lamenta Meirelles à reportagem do Hoje em Dia.
 
Ódio
 
Principal convidado do 15º Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental, realizado na cidade de Goiás no início do mês, o mais importante diretor brasileiro da atualidade explica que o teor polêmico do livro é a principal razão para as recusas de atores dos Estados Unidos.
 
“Onassis odiava os Kennedy. Eram o principal inimigo dele. Os atores americanos não querem dar tanta porrada num símbolo democrata”, destaca Meirelles. O promotor-geral dos Estados Unidos, Robert Kennedy, barrou os negócios de Onassis no país, o que alimentou a especulação de que o irmão mais novo do presidente JFK teria sido assassinado.
 
Mais tarde, curiosamente, o empresário grego se casou com a viúva de John Kennedy, Jacqueline. “Estão tratando como um filme político, mas não é. É humano, sobre esse camarada que construiu seu império em cima do ódio”, sintetiza o diretor, que agora tenta convencer os investidores a aceitar um ator grego pouco conhecido para o papel.
 
(*) O repórter viajou a convite da organização do Fica