Ela responde pela atração internacional do projeto – uma responsabilidade e tanto, considerando-se que quase 50 nomes de vertentes musicais das mais variadas estarão disputando (no ótimo sentido) a atenção do público a partir desta quarta-feira (29), no "Conexão BH", que invade o Parque Municipal para animar os dias de quem optou por não viajar no feriado – e dias seguintes.

A moça em questão é Julieta Venegas, a cultuada cantora e compositora mexicana (na verdade, nascida em Los Angeles) com credenciais de respeito: já vendeu mais de seis milhões de cópias de seus discos e levou para casa um Grammy e dois Grammy Latino.

Venegas se apresenta na sexta-feira (31), convidando Otto, Fernanda Takai e Tulipa Ruiz. A cereja do bolo é que ela acaba de lançar o CD "Los Momentos", em que reafirma caminhos já pavimentados, ao mesmo tempo em que dialoga com outras tendências, como a música eletrônica.

Instada a falar sobre o disco, Julieta diz que a proposta foi falar de temas e sentimentos, mas com profundidade. E que temas seriam? "Solidão, tristeza, entrega...". Desafiada a destacar uma faixa, cita a título, que, lembra, "fala de coisas que não vivemos", com livre inspiração na poesia do argentino Jorge Luis Borges. Dúvidas que nos assolam quando refletimos sobre as decisões tomadas.

Paixão pela MPB

Julieta tomou contato com a música brasileira pela voz de Marisa Monte, "aplicada" pela irmã, a quem foi visitar em Portugal. "Depois vieram Lenine, Caetano, Gil... Escutava muito Mutantes". A partir de 2003, Venegas começou a vir ao Brasil. "Fiquei um mês no Rio. Queria muito conhecer o país, o lugar de onde eu gostava tanto da música. E o Lenine falava muito para eu vir. Sempre fui muito fã dele, depois conheci o Moska".

E brotaram outras paixões musicais, como Erika Martins, Fernanda Takai... Nomes que também trataram de divulgar o nome de Venegas por aqui – o que a deixa pra lá de emocionada. "E também à toda gente do México", diz, referindo-se ao orgulho do país ante o sucesso da filha ilustre. A lamentar? Bem, essa é a primeira viagem que Julieta faz sem a hija Simona. Mas o carinho do público certamente vai aplacar um pouco a saudade.

Rede colaborativa foi importante para festival

Mesmo com metade da verba disponível no ano passado (era R$ 800 mil, agora R$ 400 mil), o "Conexão" conseguiu uma programação de peso para os cinco dias no Parque Municipal. Nomes destacados da cena nacional e, especialmente, da local se apresentam.

Dessa vez não há apresentações na Praça do Papa, mas o festival aposta em parcerias com outros projetos – "Alta Fidelidade", "Música Independente", "O Samba Bate Outra Vez" e "S.E.N.S.A.C.I.O.N.A.L." – para um circuito de festas, que ocupará o Granfinos e o Music Hall.

As parcerias foram fundamentais para que o Conexão permanecesse ativo, mesmo sem o patrocínio da Vivo, cortado após a mudança da presidência da empresa, em outubro do ano passado. "Nosso contato com a empresa não foi cortado totalmente. Queremos restabelecê-lo", diz o organizador do Conexão BH, Kuru Lima.

Para que o festival fosse realizado, houve uma soma de esforços de vários projetos ligados ao Conexão BH por meio de uma rede colaborativa. Por exemplo, o Palco Rede está sendo realizado sem verba. Sua existência só foi possível graças ao empreendimento de uma soma de artistas e coletivos da capital.


Confira a programação*

Quarta-feira (29)


Móveis Coloniais de Acaju; Garbo convida Kicila, Julio Curi e Carlos Malta; Falcatrua convida Pedro Morais; Fusile convida Gabriel Thomaz (Autoramas); Do Amor convida Domenico. Palco Rede: Zeloty, Julgamento, African B. Boy e Bona Fortuna

Quinta-feira (30)

Maglore convida Wado; Transmissor convida Cícero; Eliminatória do Duelo de MC’s; Peu Meurray convida Magary Lord; Sala da Toscaria na Base, Julia Ribas e BNegão tocam Marku Ribas. Palco Rede: Túlio Araújo, Zimun, Bloco do Moreré e Brascubazz.

Sexta-feira (31)

Julieta Venegas convida Otto, Tulipa Ruiz e Fernanda Takai; Metaleiras da Amazônia convida Juca Culatra; Dkttor Bhu e Shabê; Dona Onete convida Luê e Janaína Moreno. Palco Rede: Projeto Macacos, Tempo Plástico, Warley Henrique, Pequena Morte.

Sábado (1°)

O Terno convida Maurício Pereira; Graveola e o Lixo Polifônico convida Thiago Amud; Ilê Aiyê convida Maíra Freitas; Orquestra Voadora convida Baque de Mina. Palco Rede: Deskareggae Sound System e convidados.

Domingo (2)

Flávio Renegado convida Meninas de Sinhá, Aline Calixto, Rogério Flausino e Sany Pitbull; Viva Viola convida Déa Trancoso; Gang do Eletro convida Guto (Dead Lover’s). Palco Rede: Quarteirão Eletrônico

Circuito de festas

- Alta Fidelidade (nesta quarta, no Granfinos)
- Música Independente (quinta, no Granfinos)
- Sexta Básica (sexta, no Granfinos)
- O Samba Bate Outra Vez (sexta, no Music Hall)
- S.E.N.S.A.C.I.O.N.A.L. 5 convida Academia da Berlinda (sábado, no Granfinos)


*No Parque Municipal, a partir das 19 horas. Ingressos: R$ 30 e R$ 15 (meia). Passaporte de 29 de maio a 2 de junho: R$ 100 e R$ 50 (meia). Circuito de Festas: de R$ 20 a R$ 50 (inteira) Vendas: www.sympla.com.br/conexaobh