As bibliotecas municipais de Belo Horizonte celebram o “Mês da Literatura Infantil” homenageando um dos mais influentes escritores do país e, por certo, um dos favoritos dos pequenos leitores: o paulista de Taubaté, Monteiro Lobato (1882–1948).

Não por coincidência, 18 de abril – data que o escritor comemoraria 131 anos de idade – foi escolhido como o “Dia Nacional da Literatura Infantil”.

Professora emérita de Teoria da Literatura da UFMG, Eneida Maria de Souza pede sossego aos afoitos que acusam o escritor de racista e garante que não há como retirar o mérito e a importância de Monteiro Lobato e sua obra.

“Muitos tentarão fazê-lo porque avaliam os tratamentos de linguagem utilizados pelo escritor, mas não se pode desconsiderar a importância de Lobato”, observa.

Segundo Eneida, ao escritor coube a grande sacada (e consciência) de adaptar para os brasileirinhos os contos de fada e mitologia que antes apenas contemplavam o público infantil europeu e norte americano.

“Quando Monteiro Lobato escreveu seus contos, o termo politicamente correto sequer existia. Portanto, não devemos trazer suas obras para um tempo que ele não viveu. É preciso enxergar seu trabalho no contexto de sua época”.

A professora lembra ainda que grandes escritores modernistas, como Murilo Mendes, Jorge Lima e Manoel Bandeira trataram os negros em muitas de suas obras com termos que hoje podem ser avaliados como preconceituosos. “Mas certamente isso sequer passava pela cabeça deles. A verdade é que tudo tem o seu tempo e as palavras desses homens revela isso: é preciso ter cuidado com esse cerceamento à criação literária”, alerta.

Atenção aos pequenos Polêmicas à parte, até o fim de abril, a capital recebe oficinas de leitura e escrita, encontros com escritores, contação de história e apresentações teatrais – sempre com foco na literatura.

A programação, idealizada pela Fundação Municipal de Cultura, conta com cerca de 30 atividades que acontecem em locais diferentes.

Dentro da programação também serão promovidas ações de debates para gente grande. Para conhecer toda a programação (que é gratuita) acesse o site www.pbh.gov.br/cultura e divirta-se!