Cinco tendências de negócios para empreender em 2022

Cristiano Lopes / 29/01/2022 - 06h30

O Brasil enfrentou uma crise econômica, instabilidade política e pandemia, mas os brasileiros ainda demonstram vontade de empreender. Dados divulgados pelo Sebrae apontam que, no primeiro semestre de 2021, houve um aumento recorde de abertura de micro e pequenas empresas no país, o número mais alto registrado desde 2015. Nos seis primeiros meses foram cerca de 2,1 milhões de novos negócios, um crescimento de 35% em comparação ao mesmo período em 2020.
Confira cinco nichos de mercado que podem ser alternativas para quem quer empreender em 2022 com o menor risco possível e boas chances de prosperar:

1. Infoprodutos – Apostilas, cursos online, videoaulas, e-books, livros, músicas, pinturas, desenhos, aplicativos, áudiobooks, infográficos, entre outros, são cada vez mais procurados pelo público interessado. As pessoas estão buscando mais conhecimento. A área do conhecimento é o nicho para empreender sem sustos, já que os custos fixos no mercado digital são infinitamente menores do que no uso de um escritório físico, por exemplo. Você pode terceirizar quase toda a produção do material e focar nas vendas e no conteúdo. 

2. Alimentos – Trabalhar com comida exige higiene, capricho e saber fazer a manipulação da matéria-prima. Uma dica bastante importante é avaliar os nichos de confeitaria, vegetarianismo/veganismo e congelados. São tendências com viés de alta e possibilidade de lucros maiores. Fornecer para o comércio local como bares, restaurantes, lanchonetes do entorno e pequenos mercados também pode ser uma boa opção.

3. Produtos artesanais – Depois de um longo período onde o que era industrializado era visto como mais valorizado, atualmente o produto artesanal passa a ser mais desejado. Reflexo de tempos onde personalização, exclusividade e busca por compras mais sustentáveis estão na ordem do dia. Artes plásticas, costura, customização de roupas e acessórios, confecção de brinquedos, enfeites, material promocional como convites e cartazes, bijuterias, ourivesaria, produtos de higiene pessoal e cosméticos. As possibilidades são infinitas e com investimento inicial acessível, na maioria das vezes. 

4. Pet – De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet), o Brasil possui a segunda maior população de cães, gatos e aves canoras e ornamentais do mundo, além de ser o terceiro em população total de pets. Isso impulsiona a demanda por itens de cuidados com os animais, como alimentação, vestuário, brinquedos, comedouros, bebedouros, caminhas e outras tantas opções que compõem uma gama cada vez maior. Produtos personalizados e exclusivos tendem a ganhar a atenção do público. 

5. Estética – Dentro do mapa da beleza, o Brasil está constantemente entre os três países que mais gastam dinheiro com tratamentos estéticos, sejam eles caseiros, feitos com a aquisição de cremes, loções e tinturas, ou os tratamentos com profissionais especializados que se utilizam das mais variadas técnicas para que os clientes se sintam belos como nunca. Em 2022 o setor segue em alta, inclusive com a presença cada vez mais expressiva do público masculino nessa faixa de mercado.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários