Promessas de fim de ano

Opinião / 19/12/2014 - 07h00

* Mário Quirino

O fim de ano já está chegando e muitos costumam refletir sobre erros, acertos, conquistas, vida profissional e pessoal e planos para 2015. Tradicionalmente, as pessoas fazem promessas de réveillon, com metas e objetivos a cumprirem. O comprometimento vai desde trocar de emprego a mudar de hábitos alimentares.

Uma das explicações para isso é a necessidade do ser humano de viver em ciclos e marcos que estabeleçam uma sensação de começo e fim. Por isso, virou tradição ambicionar objetivos para o Ano Novo, assim como também se tornou comum a não continuidade dos planos. Talvez, a correria do cotidiano dificulte a reflexão sobre os atos. Uma das principais causas desse declínio e desânimo está na falta de planejamento.

Independentemente da proposta, é essencial não deixar que a promessa fique apenas no calor da emoção da virada de ano. Planejar é importante para não deixar os objetivos traçados somente na memória. A primeira etapa para não deixar de lado as promessas é fazer o projeto por escrito, quer seja em uma folha de papel ou em um aplicativo. Os objetivos que ficam apenas no pensamento costumam não funcionar e serem esquecidos.

É preciso programar, planejar, reprogramar e não esquecer que, para alcançar as mudanças pretendidas, o começo tem que ser pequeno. Reflita sobre as metas e como alcançá-las. Quem pretende economizar dinheiro, por exemplo, deve saber quanto ganha e quanto gasta. Dessa forma, é possível saber com o que está desperdiçando e como pode economizar.

Aquelas pessoas que querem mudar de emprego devem, antes de tudo, ter clareza sobre o que esperam dessa mudança e analisarem se a insatisfação é com a empresa ou com a carreira. Pequenas medidas acabam gerando grandes transformações. O ideal é definir onde se está e aonde se quer chegar, e criar um eixo para que a mente possa registrar e produzir os resultados.

É importante fazer um balanço sobre como foi o ano e avaliar se os objetivos foram alcançados. Muitas vezes, a impressão será que estamos deixando a vida nos levar, paralisados e acomodados com o que está acontecendo. As limitações da mente muitas vezes nos impedem de seguir em frente e são prejudiciais para o desenvolvimento pessoal e profissional.

É saudável as pessoas fazerem promessas para os próximos 365 dias com objetivos e tarefas diversos, pois mostra que a preocupação é sempre evoluir e aperfeiçoar as habilidades, os objetivos e os pensamentos. Contudo, mais benéfico ainda é cumprir o que foi proposto e tirar os planos do papel para torná-los realidade.

Quem não estabeleceu metas para o ano seguinte, ainda dá tempo, afinal, nunca é tarde para pensar no rumo de nossa vida. A disciplina e a força de vontade são combustíveis para conquistar e alcançar as metas. O objetivo principal é ter metas a serem alcançadas. Pare. Pense. Reflita. Planeje e lute pelo tempo. Faça uso de suas forças e concentre-se nos objetivos. Isso é um investimento, e o melhor, em você mesmo.


* Diretor do Instituto Você e especialista em Programação Neurolinguística (PNL)
 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários