Nunca o cartão de vacina foi tão importante. Dados de uma das maiores redes de laboratórios de análises clínicas em Minas revelam a triste escalada do coronavírus em crianças e adolescentes. E os dados são preocupantes.

De cada duas crianças que entram em unidades do laboratório Hermes Pardini para fazer o teste da Covid-19, uma está contaminada.

Os números mostram que desde a confirmação da presença da variante Ômicron no Estado, houve uma disparada de testes positivos entre crianças e adolescentes de até 13 anos.

Logo após o Natal, o índice de testes positivos estava em 3%; após o Réveillon, o índice já era seis vezes maior. Agora, durante as férias escolares, até esse domingo (23), o percentual já beirava os 60%. 

arte teste covid crianças janeiro 2022

Variante Ômicron provoca explosão de casos entre crianças e adolescentes

Para o pediatra e mestre em infectologia José Geraldo Leite Ribeiro, do Grupo Pardini, o aumento do número de casos de Covid pode estar relacionado à circulação da variante Ômicron. E ele faz um alerta aos pais ou responsáveis:

"É muito importante que as famílias não percam a oportunidade de vacinar as crianças. Tanto a vacina Pfizer quanto a CoronaVac, demonstram dados de segurança muito favoráveis".

Segundo o Boletim Epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde divulgado nesta segunda-feira (24), 81 crianças com até 9 anos perderam a vida por causa do coronavírus. E na faixa entre 10 e 19 anos, são 69 óbitos.

A boa notícia é que BH recebeu 40.340 doses da vacina CoronaVac neste início de semana e, já a partir de quarta-feira (26), o imunizante do Instituto Butantan começa a ser aplicado em crianças com 10 anos, sem comorbidades, reforçando a vacinação infantil que começou no último dia 20, com a Pfizer.

Leia mais

Taxa de ocupação de UTIs para Covid ultrapassa 90% em BH; enfermarias também continuam no vermelho
BH recebe 40 mil doses de CoronaVac e amplia vacinação contra Covid para crianças de 10 anos