Durante o tratamento com corticoide (anti-inflamatório) para lidar com "focos de vidro fosco no pulmão", o cantor sertanejo Zé Neto, da dupla com Cristiano, adquiriu mais um problema de saúde: a monilíase oral, mais conhecida como sapinho.

De acordo com a farmacêutica e especialista em gestão de farmácias e drogarias, Lívia Rocha, um dos procedimentos mais indicados para o tratamento de doenças respiratórias e do pulmão, como asma e bronquite, é uso de corticosteroides inalatórios, as famosas "bombinhas".

"O medicamento, nesse caso, auxilia no alívio dos sintomas da enfermidade, principalmente falta de ar e dor no peito. Quando o paciente faz a inalação, parte do aerossol fica retido na boca e na garganta, o que pode alterar o pH da mucosa bucal e causar a candidíase oral, mais comumente conhecida como 'sapinho'", explica.

A recomendação para evitar esse tipo de problema é que toda vez que o paciente usar esse tipo de medicamento, deve lavar bem a boca após a inalação, fazendo gargarejo e cuspindo a água depois.

Corticoides: muito cuidado ao usar!
Apesar de ser um medicamento muito eficaz contra várias doenças graves, os corticoides, muitos vendidos sem prescrição médica, apresentam um grande defeito: uma extensa lista de efeitos colaterais graves e irreversíveis.

Quando usados de maneira indevida, sem indicação médica e acompanhamento farmacêutico, ou também por períodos prolongados, o corticoide, ou cortisona, pode causar aumento do apetite, inchaço, cansaço, nervosismo, acne e insônia.

"Isso ocorre porque a droga aumenta o efeito de um hormônio chamado cortisol, também conhecido como 'hormônio do estresse', e isso interfere no funcionamento de células de todo o corpo como pele, tecido gorduroso e tecido ósseo, por exemplo", explica Lívia Rocha.

Ingerir o remédio diariamente por mais de duas ou três semanas pode até levar ao desenvolvimento de doenças como hipertensão arterial, úlcera, pancreatite, esofagite e diabetes mellitus latente. "Além disso, podem ocorrer alterações nos olhos e o aparecimento de doenças como catarata e glaucoma", completa a farmacêutica.

Os efeitos colaterais podem ser leves e reversíveis, desaparecendo assim que o uso do medicamento é interrompido ou, em alguns casos,  tornam-se irreversíveis. "Por isso é importante que o uso desse medicamento seja sempre feito com indicação médica e acompanhamento farmacêutico", alerta.

Sem reciclar a receita 
Os corticoides melhoram a qualidade de vida de diversos pacientes que lidam com crises alérgicas e inflamações. Para essas pessoas, é como se a palavra "corticoide" significasse "alívio".

Por ser um dos medicamentos mais usados nesses casos, vários pacientes têm a mania de guardar a receita médica antiga ou a caixinha do medicamento para comprá-lo novamente quando entram em crise.

"Aí que mora o perigo: o uso indiscriminado e sem acompanhamento pode acarretar em uma série de efeitos colaterais e de sintomas que caracterizam uma síndrome chamada Síndrome de Cushing (rápido aumento de peso, acúmulo de gordura na região abdominal e na face e aparecimento de estrias vermelhas no corpo, além de pele oleosa com acne)", alerta a especialista.

Leia mais:
Terceira dose é aplicada em pessoas com comorbidades de 18 a 41 anos nesta quinta em BH
Vacinas usadas no Brasil aumentam proteção de quem já teve Covid-19, diz estudo da Fiocruz
Fiocruz libera mais 780 mil doses da vacina AstraZeneca contra Covid-19 ao Ministério da Saúde