Belo Horizonte vai reduzir para quatro meses o período mínimo de intervalo entre a segunda dose e a de reforço contra a Covid-19. O anúncio foi feito nesta sexta-feira (17) pelo secretário de Saúde da capital, Jackson Machado, em entrevista coletiva na Faculdade de Ciências Médicas de Belo Horizonte, na região hospitalar da capital, onde o prefeito Alexandre Kalil (PSD) apresentou um balanço do trabalho da rede de saúde durante a pandemia de COVID-19 e as perspectivas do setor na capital. 

Segundo Machado, a Prefeitura de BH já tem pleiteado esta possibilidade há algum tempo, com o objetivo de ampliar a imunização da população.  "Nós acreditamos que essa medida vai aumentar a resistência da população frente ao avanço da Ômicron",  afirmou.

Os grupos que serão contemplados pelo novo tempo mínimo entre as doses ainda está sendo estudado pela Secretaria de Saúde. Até então, todas as pessoas que receberam a segunda dose há, no mínimo, cinco meses já podem ser imunizadas com o reforço vacinal.

Leia mais 

Cai ocupação de leitos de enfermaria exclusivos para Covid-19 em BH; alerta volta a ser verde

Kalil afirma que sistema de saúde brasileiro é 'um lixo'