O sofrimento moral dos enfermeiros durante a pandemia de Covid-19 está sendo mensurado através de uma pesquisa desenvolvida pela Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). O estudo é realizado simultaneamente na Espanha, no México e aqui Brasil – onde são analisados os profissionais da saúde de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo.

A coleta dos dados começou em junho deste ano no país, Espanha e México. Segundo a coordenadora do estudo, a professora Carolina da Silva Caram, o estresse gerado pelos profissionais da saúde durante a pandemia gera o que é chamado de sofrimento moral. “Na pandemia, estes profissionais tomam decisões para as quais não tem preparo, sob uma grande pressão emocional e uma situação em que nunca se imaginou”, explica a coordenadora do estudo.

Para mensurar o sofrimento moral, o estudo coletar dados até outubro de 2021. Após esta etapa serão aplicados questionários aos profissionais que vão responder as perguntas de maneira remota. “O questionário se concentra em descrever o ambiente de trabalho destes profissionais, o acesso aos pacientes e às questões éticas que envolvem o trabalho”, fala a professora.

Segundo a coordenadora do estudo, um dos objetivos do estudo é preparar estes profissionais da saúde a traçar novas estratégias para situações futuras. “Queremos levá-los a reflexões que tracem propostas de intervenção na gestão do serviço para criar um ambiente de um ambiente de trabalho saudável”, afirma Carolina.

Leia mais:
BH não vacina contra a Covid neste sábado; imunização recomeça na segunda para grupos já convocados
Minas confirma mais 279 óbitos e 8.675 casos de Covid em 24 horas
Ações de Direitos Humanos passam a ser exigidas em órgãos públicos