A entrada de pacientes com suspeita de sarampo interditou temporariamente quatro unidades de saúde em Belo Horizonte, nesta segunda-feira (26). Os casos aconteceram na Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) Nordeste e nos centros de saúde Tirol, Califórnia e Felicidade II.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte (SMSA), com os casos desta segunda, já foram nove interdições em unidades de saúde da capital. A primeira foi na última quarta-feira (21), na UPA Centro-Sul. No dia seguinte, foi a vez do Centro de Saúde São Geraldo; na sexta-feira (23), o Centro de Saúde Lagoa, em Venda Nova, foi paralisado; As UPAs Leste e, novamente a Centro-Sul, foram fechadas.

Quando um paciente com sintomas da doença chega a uma unidade de saúde, é cumprido um protocolo de segurança para que não haja transmissão. O processo dura em média duas horas e consiste na suspensão da admissão de novos pacientes, verificação da situação vacinal de todas as pessoas que estão dentro da unidade e aplicação de doses para quem ainda não foi imunizado. Além disso, é feita uma completa desinfecção do espaço.

Apesar das interdições, o número de casos confirmados em BH não subiu. Segundo a SMSA, a capital tem dois casos de residentes com a doença confirmada e outros 20 permanecem sob investigação.

Leia mais:
Estudantes de universidades públicas e privadas de BH vão ser vacinados contra o sarampo
Mais uma unidade de saúde é fechada por suspeita de sarampo em BH
Esforços para barrar avanço do sarampo ganham força após isolamento de UPA em BH