Por causa dos altos números da dengue neste ano em Belo Horizonte, a prefeitura da capital pretende instalar três Centros de Atendimento à Dengue (CAD), que serão direcionados apenas às pessoas com a enfermidade. A data de início de operação dos equipamentos não foi divulgada, pois a administração municipal aguarda a contratação de médicos para preencher as vagas ofertadas.

O primeiro a ser aberto, com previsão para este fim de semana, é do CAD do Barreiro, que vai funcionar no Complexo de Saúde do Barreiro (Praça Modestino de Sales Barbosa, 100 - Flávio Marques Lisboa). Ali, serão atendidos moradores também das regiões Oeste e Noroeste da cidade. Outras duas unidades, uma na região de Venda Nova (que atenderá também as regiões Norte e Pampulha) e uma na região Nordeste (que atenderá também as regiões Leste e Centro-Sul) serão implantadas.

A prefeitura informou que, no CAD, os moradores com sintomas da dengue terão atendimento de uma equipe exclusiva, de forma que o restante da rede de saúde terá um desafogo desta demanda. Em contrapartida, pacientes que não tenham dengue serão enviados para os postos e UPAs.

Segundo o secretário de Saúde de BH, Jackson Machado Pinto, a prefeitura tem tido dificuldade de preencher as 207 vagas de profissionais, sendo 87 médicos, que foram abertas e, por isso, não tem como dar uma previsão de abertura dos outros dois CADs que serão instalados na cidade.

"É um pouco difícil de achar (médicos que aceitem as vagas) porque os médicos muitas vezes acham as condições de trabalho um pouco inadequadas, o que não é absolutamente verdadeiro. Os locais são de fácil acesso e o trabalho é diluído entre diversos profissionais", afirmou o secretário.

Leia Mais:
Bebê de 8 meses morre sob suspeita de dengue hemorrágica no Norte de Minas
Detenta morre sob suspeita de dengue em unidade prisional onde 50 casos já foram confirmados
A cada pessoa com dengue, outras 3 tiveram a doença sem saber; risco é maior para idosos