Ao menos 20 detentos ficaram feridos, sendo seis em estado grave, após a queima de colchões no presídio Ribeirão das Neves II (Inspetor José Martinho Drumond), da Região Metropolitana de Belo Horizonte, na tarde desta quinta-feira (4).

Segundo o Corpo de Bombeiros, a queima causou ferimentos em alguns deles e queimaduras de 2º e 3º grau. Ainda não se sabe o motivo da revolta.

Parte dos detentos já foram socorridos por helicóptero e ambulâncias dos bombeiros e do Serviço de Atendimento Móvel de Uergência (Samu). As vítimas estão sendo levadas para o Hospital de Pronto Socorro João XXIII, na capital.

Em nota, a Sejusp disse que um detento foi responsável por iniciar o incêndio. Segundo a pasta, havia 18 presos na cela. Doze deles foram encaminhados para hospitais de Belo Horizonte e de Ribeirão das Neves para atendimento por inalação de fumaça ou queimaduras.

"Entre os que sofreram queimaduras, cinco foram transportados de forma aérea, pois os casos são mais graves. Os seis custodiados restantes foram atendidos pela equipe médica da própria unidade prisional", disse a Sejusp.

A direção do presídio vai instaurar procedimento interno de investigação para apurar o fato. No momento, a ação já está controlada no interior da unidade prisional. 

Leia mais:
Polícia Civil prende suspeitos de aplicar golpes para facilitar obtenção de CNH em Montes Claros
Cerca de 12% dos empresários mineiros pretendem abrir vagas temporárias neste fim de ano