Cerca de sete mil lojas fecharam as portas definitivamente em Belo Horizonte por conta da pandemia de Covid-19. Ao todo, estima-se que 22 mil pessoas perderam o emprego na cidade.

Os dados foram repassados na tarde desta quinta-feira (20) por Nadim Donato, presidente do sindicato que representa o setor, o Sindilojas, após avaliação das duas semanas de flexibilização. Mesmo com o anúncio da ampliação do funcionamento do comércio a partir da próxima semana, os empresários acreditam que, até o fim deste ano, não devem conseguir recuperar o faturamento perdido durante meses fechados. A queda mensal no faturamento chega a 70%.

Alguns lojistas, inclusive, estavam de portas cerradas desde 20 de março e só conseguiram voltar em 5 de agosto, como foi o caso dos shoppings centers.

Na nova etapa de flexibilização em Belo Horizonte, anunciada nesta quinta-feira (20), as lojas de rua e os malls poderão atender ao público de segunda a sexta-feira, dois dias a mais do anteriormente. "Uma vitória. Solicitamos ao prefeito quatro dias de abertura, mas teremos cinco. Mesmo assim, este ano é para o comércio sobreviver. Recuperação só em 2021", frisou Nadim Donato.

Leia mais:
Kalil libera comércio de segunda a sexta, praças e restaurantes em Belo Horizonte
Após veto, vereador apresentará novo projeto de lei para regulação de drive-ins em BH