O Carnaval em Belo Horizonte começa oficialmente em 11 de fevereiro, mas a largada para a festa será dada hoje. Os foliões que estiverem ansiosos poderão ter um gostinho do evento neste fim de semana. Blocos na capital e em Contagem, na Grande BH, farão ensaios abertos. Também está prevista a famosa Praia da Estação.

“Os ensaios abertos têm a intenção de dar um aperitivo para as pessoas sobre o que é o bloco, para elas sentirem vontade de ir no Carnaval. E, de quebra, treinamos a bateria e deixamos a banda mais afiada para as festas”, explicou o fundador do bloco Beiço do Wando, Rodrigo Zavagli, que agita os foliões na tarde de hoje, no bairro Havaí, Zona Oeste de BH.

arte pré-carnaval bh

Para quem nunca tocou um instrumento, mas sempre teve vontade de participar da bateria e da banda de um bloco de Carnaval, ainda há tempo, avisa o organizador e fundador do Batuque Coletivo, Jorge Simão Júnior. O grupo se apresentará hoje na praça Geraldo Torres, no bairro Padre Eustáquio. “Temos uma lista de instrumentos que trabalhamos no bloco. A pessoa interessada pode escolher o que tiver vontade de tocar, e os diretores da banda vão alocar todo mundo”.

Os interessados em aprender a tocar funk, pop rock, sertanejo e axé em ritmo de Carnaval podem comparecer aos ensaios abertos do bloco, que acontecem na região da Savassi e no Centro Cultural Padre Eustáquio, Noroeste da cidade. As melodias são feitas ao som de surdo, caixa, repique, rocar e tamborim.

A folia também acolhe o público que quer uma diversão para o fim de semana. “A intenção é trazer as pessoas para perto. Quem quiser curtir um som é só ‘colar’. No local terá comida e bebida”.

Em 2017, 272 blocos se inscreveram para compor a programação oficial do Carnaval de Belo Horizonte - 30% a mais do que no ano passado. A Belotur estima que irão circular pela festa cerca de 2,4 milhões de pessoas. Para acompanhar o crescimento da folia, a prefeitura promete aumentar a infraestrutura de banheiros, palcos, ônibus e agentes em 40%.


Na Praia da Estação, hoje, os foliões poderão experimentar a mistura dos ritmos de Carnaval do bloco Bruta Flor e da música eletrônica, com o coletivo SuperBaby

O Carnaval de 2017 também terá atividades que buscam integrar à festa vários públicos. O Bloco da Língua, que apresenta ritmos afro, de samba-reggae e maracatu, procura levar o Carnaval a locais mais afastados da cidade.

O coordenador Anderson de Paula lembrou que o grupo prioriza essas regiões para que os moradores do bairro de São Salvador, no Noroeste da cidade, não precisem se deslocar até o Centro. “A gente acha que a diversão tem que ser para todos e, às vezes, nem todo mundo tem condições de sair daqui para o centro e bancar bebidas e alimentos, que são caros. Queremos fazer uma diversão para as pessoas da região também poderem curtir o Carnaval”, disse. Em 2015, o bloco teve público de cerca de 2 mil pessoas durante o cortejo e até o final do desfile.

Promover uma tradição local valorizando os ritmos africanos é o intuito do bloco afro Fala Tambor e as Sambadeiras. O grupo, que se apresentará na região Central e também no bairro Esplanada, na região Leste, durante a folia, comanda um ensaio aberto e oficinas gratuitas de canto, dança e percussão amanhã. “Queremos criar um costume na região levando os cantos autorais de samba, congo e frevo”, explicou Telma de Souza, produtora-executiva do bloco.