A Prefeitura de Belo Horizonte oficializou, nesta sexta-feira (28), o adiamento do retorno dos alunos de 5 a 11 anos às aulas presenciais. Em escolas públicas e privadas, segundo decreto publicado no Diário Oficial do Município (DOM), a volta das atividades deve ocorrer apenas no dia 14 e o descumprimento da determinação sujeita as instituições às penalidades previstas na legislação.

A medida, já anteriormente divulgada pelo prefeito da capital mineira, Alexandre Kalil (PSD), leva em consideração o aumento no número de casos de Covid-19 registrados na cidade, assim como a análise dos indicadores epidemiológicos, que também indicam alta no número de internações pela doença nas últimas semanas. 

Segundo o documento, há, ainda, a necessidade de mais tempo para viabilização da vacinação contra a doença de crianças desta faixa etária, ampliando a cobertura vacinal “a fim de prevenir a disseminação da enfermidade e proteger a saúde de alunos, familiares, professores e funcionários das instituições de ensino”. 

Em coletiva concedida à imprensa na última quarta-feira (26), Kalil fez um apelo e considerou a alta proteção da vacina como forma de incentivo aos pais. 

“Temos que dar a chance de dar proteção às crianças que devem ser protegidas. Uma dose da Pfizer ou da CoronaVac em uma criança a protege em mais de 90%", afirmou. 

Leia mais:
Setor de eventos se preocupa com exigência dupla de vacina teste negativo e prepara carta para PBH
Ocupação de leitos pediátricos para Covid passa de 50% em pelo menos três cidades da Grande BH
'Levem seus filhos para vacinar, pelo amor de Deus', pede Kalil após aumento de casos da Covid em BH