As pessoas contaminadas pela Covid-19 podem transmitir a doença de um a dois dias antes dos primeiros sintomas aparecerem. A informação foi divulgada pelo professor da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da Universidade de São Paulo (USP), Benedito Antônio Lopes da Fonseca, em vídeo compartilhado no canal do YouTube da USP.

Conforme Fonseca, com a prevalência de casos de infecção pela variante Ômicron do coronavírus, ficou constatado que a cepa possui maior carga, o que permite a transmissão antes mesmo do início dos sintomas. A taxa de transmissibilidade também permanece alta nos dois primeiros dias após o aparecimento dos sintomas.

"Então, realmente, é necessário que, ao primeiro sintoma, a pessoa se afaste e fique no isolamento domiciliar. Se possível, procure fazer a testagem para saber se está com Covid", explicou o professor da USP.

Quem concorda com a afirmação de Benedito Fonseca é o epidemiologista e mestre em infectologia, José Geraldo Leite Ribeiro. Segundo ele, todas as variantes do novo coronavírus possuem maior transmissibilidade nos dois dias que antecedem e nos dois posteriores aos primerios sintomas. Porém, é importante se atentar ao fato de que as viroses se comportam de forma diferente em cada pessoa.

"Embora a gente conheça o tempo de maior transmissão da Covid, eu oriento que as pessoas permaneçam isoladas e tomem as medidas necessárias para evitar o contágio de terceiros", afirmou José RIbeiro.

Confira a entrevista completa do professor Benedito Antônio Lopes da Fonseca, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto:

Leia também 
BH convoca pessoas com alto grau de imunossupressão com mais de 70 anos para 4ª dose contra Covid
‘As vacinas foram desenvolvidas por pessoas capacitadas, não por curandeiros’, diz Zema