Cinco casos de falsidade ideológica foram encontrados na documentação das 90 crianças e adolescentes deportados dos Estados Unidos nessa quarta-feira (26). A análise foi realizada pela equipe da pela 1ª Vara Cível, Criminal e da Infância e da Juventude da Comarca de Pedro Leopoldo, Região Metropolitana de Belo Horizonte, e os casos irregulares foram enviados para as comarcas onde o crime foi cometido.

De acordo com o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), as irregularidades foram detectadas em declaração de união estável, certidão de nascimento e declarações de paternidade. 

Ainda segundo o tribunal, todos os menores de idade presentes no voo que desembarcou no Aeroporto de Confins com 211 ocupantes estavam acompanhados por, ao menos, um responsável com vínculo biológico.

A Polícia Federal investiga como os menores de idade deixaram o Brasil e as condições em que eles viajaram até os Estados Unidos.

De acordo com a BH Airport, concessionária que administra o Aeroporto de Confins, o terminal já recebeu 51 voos com brasileiros deportados dos Estados Unidos desde outubro de 2019. O período é marcado pela redução da burocracia para a deportação de imigrantes brasileiros em situação irregular por parte do Ministério das Relações Exteriores. 

Leia mais:
Golpe no WhatsApp: beneficiários de seguros do Ipsemg são alvo de criminosos
Nova pesquisa Ipespe aponta Lula com 44%, Bolsonaro com 24% e Ciro e Moro empatados em 8%