Uma caminhada em Brumadinho, na Grande BH, às 10h30 da próxima terça-feira (25), marca o terceiro ano do rompimento da barragem Mina do Córrego do Feijão, de propriedade da Vale. No mesmo dia, às 9h, o presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Walmor Oliveira de Azevedo, vai presidir uma missa em memória das vítimas.

As atividades fazem parte da III Romaria pela Ecologia Integral a Brumadinho. A programação, iniciada nesse sábado (22), tem ações presenciais e on-line, com participação de organizações nacionais e internacionais.

Brumadinho

Rompimento da barragem foi em 25 de janeiro de 2019

A tragédia foi em 25 de janeiro de 2019, matando 270 pessoas e provocando um rastro de destruição ambiental.

Dezesseis pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público (MP) como responsáveis pelo rompimento da barragem. Entre elas estão o ex-diretor presidente da Vale Fabio Schvartsman, dez funcionários da mineradora na época e cinco da TÜV SÜD, empresa alemã responsável pelo laudo que atestou a segurança da estrutura.

Leia Mais:
Barragens a montante em Minas só deverão estar desativadas em 2035, 13 anos após prazo
Dezoito barragens em Minas precisam passar por intervenções preventivas por conta das chuvas
Nível de emergência da barragem da Vale Área IX, em Ouro Preto, sobe após fortes chuvas