Janeiro será o mês com mais contaminados pelo coronavírus em Minas. O recorde do pico de casos pode ocorrer já neste sábado devido à disparada de infecções provocadas pela variante Ômicron. Mesmo defendido por alguns especialistas, um recuo nas flexibilizações não está na pauta de governo do Estado.

Dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) indicam março de 2021 com o mês com mais doentes desde o início da pandemia. Foram 245 mil testes positivos. Porém, apenas nos 21 dias de 2022 já são 239 mil. Desde terça-feira, 20 mil novos casos são registrados a cada 24 horas.

Infectologista do Comitê de Enfrentamento à Covid de Belo Horizonte, Estevão Urbano afirma que a taxa de transmissão da doença é a maior já registrada. O médico reforça que o potencial de contaminação da cepa Ômicron já provoca a pior onda no território mineiro.

“O que está salvando é a vacinação. Felizmente, a variante chegou em um momento em que as pessoas estão imunizadas, mas isso não minimiza o problema, que é crítico. Mostra que o coronavírus está longe de se tornar uma endemia”, disse. 

Diante de mais ameaças, as restrições nas cidades mineiras devem ser reavaliadas constantemente, segundo o infectologista Leandro Curi, do Comitê de Ibirité, na Grande BH. 

O especialista lembrou que a população também não tem contribuído, ignorando as medidas de proteção. “O isolamento social não existe, o controle rigoroso dentro de ambientes também não. Associado a isso, temos as festas de fim de ano, viagens. Todo mundo relaxou”, lembrou.

Ao mesmo tempo, outra preocupação é com a volta às aulas, já que as crianças, ainda sem o esquema vacinal completo, podem adoecer e transmitir o vírus para os familiares e funcionários das escolas. 

“Elas podem até adoecer menos, mas não quer dizer que elas não transmitem com a mesma eficácia”, completou Leandro Curi.

Por nota, a SES afirmou que, apesar do cenário da pandemia e a taxa de ocupação de leitos, não foi identificado risco assistencial no Estado. Uma nova reunião, no âmbito do programa Minas Consciente, deverá ser realizada na próxima quinta-feira, quando os indicadores serão novamente avaliados pelo Centro de Operações Emergenciais em Saúde (COES).

Casos em 24 horas
Nessa sexta-feira (21), Minas registrou 26.977 novos casos da Covid em 24 horas. Foi o quarto dia consecutivo acima dos 20 mil infectados. O recorde em um dia ocorreu na quarta-feira, com 27,6 mil doentes. 

Vacinação no Estado
De acordo com o painel de monitoramento da Secretaria de Saúde, 16,6 milhões de mineiros foram vacinados com a primeira dose da vacina contra Covid, número equivalente a 78,3% da população total de Minas. Em relação à segunda dose, são 15,2 milhões (73,9%). Já o reforço foi aplicado em 4,2 milhões de pessoas (20%).

Leia mais:

Falta de profissionais de saúde impede ampliação de leitos para Covid em BH

BH não descarta cancelamento e restrição a eventos particulares no Carnaval, diz secretário de Saúde