Casas e comércios atingidos pelos temporais em Minas Gerais nas últimas semanas terão isenção no pagamento da conta de água junto à Copasa. O anúncio foi feito pela empresa nessa terça-feira (18), e será válida para cidades em estado de emergência ou calamidade, desde que reconhecidos pela Defesa Civil Estadual.

Conforme a companhia, as condições variam de acordo com a situação de cada imóvel. Entretanto, não será necessário ir até uma agência para fazer o acordo, já que a própria Defesa Civil realiza avaliação e listagem das construções atingidas.

Isenção

  • Imóveis residenciais, interditados temporariamente, terão isenção da conta de janeiro/2022 e chance de parcelamento da conta de fevereiro/2022
  • Imóveis residenciais ou comerciais, que desabaram e/ou que foram condenados, terão isenção da conta de janeiro/2022. Nesses casos, o abastecimento será cortado e não haverá novas faturas. Imóveis condenados e que passarem por obras poderão pedir a religação sem custo
  • Imóveis residenciais que foram atingidos, mas continuam em condição de uso, terão isenção da conta de janeiro/2022
  • Imóveis comerciais que foram atingidos, mas continuam em condição de uso, terão até 10 m³ isentos da conta de janeiro/2022. Caso o cliente tenha algum parcelamento vigente, esse pagamento fica suspenso por dois meses, sem juros ou encargos

Emergência

Segundo o boletim da Defesa Civil estadual, divulgado nessa terça-feira (18), há 380 municípios mineiros em situação de emergência. No momento, não há decreto de calamidade pública.

Desde o começo do período chuvoso, em outubro do ano passado, 47.912 pessoas ficaram desalojadas, e outras 7.336 ficaram desabrigadas. Além disso, 25 pessoas morreram no períiodo.

Leia mais:
Após as últimas chuvas, Agência Nacional de Mineração intensifica fiscalização em barragens de Minas
Minas tem mais de 1 milhão de pessoas com a vacinação contra a Covid-19 atrasada, diz Zema