A Covid-19 continua avançando em Belo Horizonte neste primeiro mês do ano. Segundo o Boletim Epidemiológico divulgado pela Prefeitura da capital nesta terça-feira (18), a taxa de ocupação dos leitos de enfermaria destinados ao tratamento da doença está em 84,7%. O ideal é que esse índice esteja abaixo de 50%.

Os leitos de UTI permaneceram estáveis nesta terça-feira. Porém, a taxa de transmissão do vírus, representada pelo índice RT, subiu de 1,16 nessa segunda (17) para 1,18. O índice RT atual aponta que a cada 100 infectados, outras 118 pessoas podem ser contaminadas. O ideal é que ele fique abaixo de um.

Com o aumento do número de casos, o Hospital Eduardo de Menezes, na região do Barreiro, em Belo Horizonte, está operando com 100% de ocupação dos leitos de UTI para doenças respiratórias. De acordo com a Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), na enfermaria, a situação também é alarmante, já que 92% dos leitos estão preenchidos.

Diante do cenário preocupante, a PBH informou que ampliou os espaços de atendimento para doenças respiratórias na rede municipal. Foram abertos mais 39 leitos de enfermaria e 10 de UTI. De acordo com a Prefeitura, 243 leitos de enfermaria e 19 de UTI já foram abertos em janeiro.

Infecção e vacinação
De acordo com os dados da PBH, até o momento, foram confirmados 305.207 casos de Covid-19 na capital mineira, sendo 5.878  em acompanhamento. Nas últimas 24h, a cidade registrou apenas uma morte em decorrência da doença. Ao todo, 7.132 já faleceram desde o início da pandemia.

Em relação à imunização de pessoas com 12 anos ou mais, em BH, 93,8% já receberam a segunda dose ou dose única (Janssen). O reforço foi dado a 31,5% desse público. Foram distribuídas 5.155.095 vacinas contra o coronavírus na cidade, das quais 691.851 foram de reforço.

Leia mais
Referência na Covid, Eduardo de Menezes tem 100% de UTIs para doenças respiratórias ocupadas
Santa Casa destina 38 leitos de enfermaria para pacientes com crise respiratória; ocupação de 97,6%