“Ficamos submersos. Nessa hora achei que fosse morrer. Não sei como saí debaixo d’água. Vi uma criança com as mãos para cima, cabeça coberta pela água e com duas pedras em cima do tronco. Comecei a tirar essas pedras de cima daquela criança, com muita dificuldade. Meu cunhado apareceu e me ajudou. Ele me disse depois que puxou essa criança pelo cabelo e que essa criança era o Henrique, meu filho caçula, de 9 anos.”

A cena, impressionante, é relatada pela fotógrafa Ana Martins da Costa, sobrevivente da tragédia de Capitólio - como ficou conhecido o episódio na qual 10 pessoas morreram atingidas por uma pedra gigante que se desprendeu no cânion do Lago de Furnas - em uma carta onde conta em detalhes como tudo aconteceu e os momentos de pavor e desespero que vivenciou naquela manhã de 8 de janeiro junto com sua família e um grupo de amigos.

A carta foi publicada pelo advogado Fábio Caldeira, colunista do Hoje em Dia, na edição de sábado (15). Caldeira é amigo há mais de 30 anos da fotógrafa e sua família. “Juntamente com a Ana, autora deste emocionante depoimento, e suas irmãs Silvia e Bel, e posteriormente com o Alexandre Campello e Sérgio Guerreiro, maridos das duas primeiras, somos um grupo de amigos que há 30 anos vivemos juntos alguns momentos tristes e outros inúmeros felizes e fraternais”, conta Caldeira.

Para ler a carta na íntegra. acesse esse link.