Os temporais que atingem Minas têm deixado rastros de destruição em diversas cidades. Segundo dados da Defesa Civil do Estado, são 341 municípios em situação de emergência, enfrentando mortes, alagamentos, enchentes e interdições de vias.  

Ainda conforme o levantamento, mais de 28 mil mineiros foram afetados pelas chuvas desde outubro de 2021. Para ajudar os desalojados e desabrigados em Minas, diversas entidades se mobilizaram em campanhas de arrecadação e parcerias com outras instituições.

Apesar do mutirão, que começou há mais de um mês, ainda há itens importantes que demandam atenção, como produtos de higiene e limpeza, além de colchões e alimentos.

O diretor de investimento social do Serviço Social Autônomo (Servas), Rodrigo Fernandes, explica que ainda há muito a ser feito. "Os pedidos são muitos, mas as doações ainda nem tanto. Praticamente não recebemos itens de limpeza e alimentos, por exemplo, que sabemos ser muito úteis para quem teve as casas afetadas", comenta.

O órgão está sediado na avenida Cristóvão Colombo, número 683, no bairro Funcionários, região Centro-Sul de BH, onde as doações podem ser entregues. Outros pontos de entrega podem ser encontrados neste link. O foco das doações, conforme Fernandes, está na Grande BH e nas regiões Norte, Jequitinhonha e Mucuri.

A Santa Casa BH, em parceria com a Cruz Vermelha, lançou a campanha "SOS Chuvas", que arrecada itens para famílias afetadas na Região Metropolitana da capital. “Diante de tantas perdas e das cenas desoladoras que assistimos, iniciamos uma mobilização interna para ajudar os nossos colaboradores que foram afetados, mas entendemos que poderíamos ir além e chegar a mais pessoas", explica o provedor da Santa Casa BH, Roberto Otto Augusto de Lima.

A maior urgência de doações, segundo a campanha, é de vassouras, rodos, desinfetantes, água sanitária e colchões novos de casal e solteiro. As doações podem ser entregues na sede da Cruz Vermelha Brasileira – Filial Minas Gerais (Rua Alameda Ezequiel Dias, 427 – Centro – Belo Horizonte - de segunda a segunda-feira, das 8h às 20h) e na Provedoria da Santa Casa BH (Rua Álvares Maciel, 611 – Santa Efigênia - Belo Horizonte - de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h). Veja fotos das entregas na sede da Cruz Vermelha.

Também é possível fazer doações em dinheiro, por meio do PIX secretaria@cvbmg.org.br.

O aposentado Hamilton Campos, de 80 anos, fez questão de participar do mutirão mais de uma vez. "Primeiro, deixei alguns alimentos no Servas, e depois levei materiais de limpeza para a Cruz Vermelha", conta. Ele se sente privilegiado por poder ajudar, e reforça que a mobilização não vai parar por aqui.

"Quem tem fome, tem pressa. Sei da importância dessa ação e quero ajudar mais. Ainda nesta semana, quero deixar cobertodres para doação na Cruz Vermelha, e se conseguir, vou continuar ajudando", pontua.

Outra campanha que parte de BH para todo o Estado é promovida pela Legião da Boa Vontade (LBV). Em parceria com a Defesa Civil estadual, o órgão arrecada itens na capital e participa na distribuição para cidades afetadas na Grande BH e região Central.

"Desde o começo do período chuvoso, foram mais de 50 toneladas arrecadadas. Nós começamos o mutirão para Minas nesta semana, e serão entregues 13 toneladas de alimentos e água", explica Elainy Bastos, Gestora do Centro Comunitário da LBV. Entretanto, ela conta que os pedidos começaram a mudar por conta da chance de estiagem nos próximos dias.

"É até uma recomendação da Defesa Civil para incentivar doações de colchões e roupas de cama, que vão ser usados para montar abrigos provisórios", conta Bastos. "Também aumentaram muito os pedidos para itens de limpeza e higiene pessoal, que ainda não chegaram em grande quantidade", conclui.

As doações para a LBV são feitas exclusivamente na sede do órgão, na avenida Cristiano Machado, número 10.765, no bairro Planalto. Tem ainda as contribuições via PIX, feitas pela chave pix@lbv.org.br. Outras formas de ajuda estão disponíveis no site e no Instagram do órgão. 

Leia mais:
Chuva prejudica abastecimento de água em 44 cidades na Grande BH e região Central
Minas confirma mais 18 mil casos de Covid e tem recorde de notificações registradas em 24 horas