Nada menos do 23.556 casos de Covid-19 foram registrados em Minas só nos últimos cinco dias. O número é quatro vezes maior do que as notificações da última semana de dezembro de 2021.

Para especialistas e autoridades, o salto está diretamente ligado às viagens e aglomerações durante o Natal. O cenário deve piorar ainda mais, devido ao impacto do Ano Novo e circulação da variante Ômicron.

Em BH, leitos de enfermaria destinados a pacientes com coronavírus têm ficado lotados, além de aumento dos atendimentos a pacientes com gripe. O infectologista e professor da Faculdade Santa Casa de BH, Alexandre Sampaio, destaca que muita gente baixou a guarda, deixando de lado as medidas sanitárias.

“Temos dois vírus, da gripe e da Covid-19, que pegaram a população, de certa forma, mais desprevenida, já que a proteção vacinal para as duas doenças caem um pouco quando surgem novas variantes, Ômicron e H3N2. Isso somando às aglomerações do fim de ano”, disse.
Segundo ele, os casos de infectados com a Covid devem aumentar já na próxima semana. “Ainda temos incubação em torno de alguns dias da doença. Mais gente infectada, é mais gente transmitindo e circulando”.

A preocupação também foi destacada pelo governo de Minas. “Certamente, teremos aumento muito vinculado ao fim de ano. Nós temos a combinação quase perfeita para o vírus: aglomeração e redução dos cuidados”, avaliou o secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti
Para que a situação não se agrave ainda mais, o titular da pasta faz um apelo para que os mineiros continuem seguindo as medidas de proteção com uso de máscara e higienização constante das mãos. Segundo ele, novos leitos foram disponibilizados em hospitais.

Caso de BH, que abriu 66 novos leitos de enfermaria para tratamento da Covid. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, os pacientes utilizando todos os recursos que necessitam, com insumos e equipamentos.

Quinze desses leitos foram abertos na Santa Casa de BH. Há, ainda, a possibilidade de redirecionamento de novas vagas a partir da próxima semana.

“Esse redirecionamento é feito de forma rápida, já que os leitos apenas deixam de receber pacientes de outras especialidades e são ofertados aos pacientes com Covid-19”, informou o hospital.

Leia Mais:
Fiocruz produzirá vacinas 100% nacionais contra a Covid-19