As fortes chuvas que atingem Minas Gerais, neste início de ano, provocam danos às rodovias, trazendo prejuízo para as cidades e risco para os motoristas. Com o solo encharcado, os problemas se multiplicam como buracos e erosões, afundamento de pistas, problemas estruturais em pontes e viadutos, além de quedas de árvores e de barreiras, como aconteceu no último dia 30, na BR-381, próximo ao município de Antônio Dias, no Vale do Rio Doce. 

De acordo com o Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem (DER-MG), equipes de Montes Claros, Brasília de Minas, Jequitinhonha, Governador Valadares, Pedra Azul, Teófilo Otoni, Janaúba, Salinas e Capelinha, fortemente afetadas por enchentes, permanecem em regime de plantão junto às Defesa Civis Estadual e municipais para auxiliar no atendimento às ocorrências.

Ainda de acordo com o DER-MG, além de monitorar a malha rodoviária estadual pavimentada e a não pavimentada, equipes de manutenção do departamento também trabalham junto às prefeituras na desobstrução de rodovias vicinais, que são aquelas que interligam os municípios a distritos e localidades. 

Segundo um levantamento divulgado pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) e pelo SEST SENAT, em dezembro, as estradas em Minas são as piores do Sudeste. A avaliação da CNT foi feita a partir da análise de 15.259 km de estradas no estado. De acordo com a 24ª edição da Pesquisa CNT de Rodovias, 69,9% das rodovias mineiras têm algum tipo de problema. O índice é maior do que o registrado em todo o país, em que 61,8% da malha rodoviária foi considerada regular, ruim ou péssima.

O Governo Estadual informou que tem atuado para minimizar os impactos do temporais nos municípios mineiros. A doação de materiais como vigas metálicas, bueiros e mata-burros foi intensificada e simplificada. Segundo a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade (Seinfra), o foco é nos municípios em estado de calamidade ou situação de emergência.

Os insumos disponibilizados também estão sendo usados pelo DER-MG para o restabelecimento do fluxo nas estradas mais afetadas pelas chuvas. "Nossas equipes estão empenhadas em atender com agilidade as demandas de doações de materiais e os municípios mais atingidos pelas chuvas são a prioridade. Em 2020, conseguimos atender mais de 200 prefeituras e continuamos à disposição para ajudar as regiões que precisam do nosso apoio nesse momento", afirma o secretário de Infraestrutura e Mobilidade, Fernando Marcato.

(*) Com Agência Minas

Leia também

Veja quais pontos com risco de alagamento devem ser evitados em BH durante as chuvas fortes
Guia para pagamento do IPVA de 2022 em Minas já pode ser emitida; veja como