Completar o calendário de vacinação contra a Covid-19 pode diminuir em até 11 vezes o risco de morte pela doença. É o que mostra uma pesquisa feita pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG). Nesta quinta-feira (6), o responsável pela pasta, Fábio Baccheretti, reforçou a importância da imunização, além de alertar sobre o avanço da variante Ômicron em Minas.

"Nós fizemos esse estudo em dezembro, e ficou provado que a chance do não vacinado morrer é 11 vezes maior que aquele totalmente protegido. Quando se toma apenas uma dose do imunizante, essa chance passa a ser apenas duas vezes maior", explicou Baccheretti.

O secretário disse que a nova variante mudou a realidade no Estado, mas sem anular os cuidados antes e depois da vacinação. "É uma variante menos letal, ainda mais pensando no avanço dos vacinados em Minas. Mesmo assim, não há previsão para retirada de máscaras, e o Carnaval, inclusive, segue com a orientação: não vamos incentivar festas, o que vale são apenas os protocolos do Minas Consciente", afirmou.

Conforme o Hoje em Dia mostrou, os casos da Ômicron dispararam em Minas. Em apenas onze dias, as infecções por Covid-19 com a cepa aumentaram 330% – ou quatro vezes mais. Além da transmissão comunitária, médicos destacam que houve relaxamento nas medidas sanitárias por parte da população.

O último balanço divulgado pela SES-MG mostra que são 138 notificações. Em 23 de dezembro eram 32. Até o momento, 18 cidades têm registros da mutação. Praticamente metade (76) ocorreu em Belo Horizonte.

Leia mais:
Ômicron já infectou 138 pessoas em Minas; dados são de laboratório particular
Com novos casos de Covid-19, Rio cancela blocos de rua no Carnaval