O Comitê de Enfrentamento à Covid-19 de Belo Horizonte solicitou nesta quarta-feira (29) que a Prefeitura da capital prorrogue o decreto de calamidade pública até março de 2022. De acordo com o grupo, a circulação do coronavírus está crescendo na cidade. 

O boletim epidemiológico divulgado nesta quarta-feira pela PBH revela que o número médio de transmissão da doença é de 1,15%, ou seja, a cada 100 pessoas infectadas, outras 115 podem ser contaminadas. Essa é a maior taxa desde março deste ano, quando a cidade passava pela onda roxa da doença. 

Além do índice de contaminação, os infectologistas responsáveis pelo comitê alertam para o impacto da nova variante da Covid, a Ômicron. “Não é possível prever o impacto nos indicadores da cepa Ômicron, cuja circulação comunitária já está estabelecida em Belo Horizonte”, afirmaram na Nota Técnica enviada ao Executivo Municipal. 

Desde de abril de 2020, no início da pandemia do novo Coronavírus, a capital mineira está sob alerta de calamidade pública. Caso a recomendação não seja aprovada pelo prefeito Alexandre Kalil (PSD), o decreto termina nesta sexta-feira (31).

Boletim Covid BH 29/12

Indices da doença na cidade estão altos

Leia também
Em cinco dias, Minas registra aumento de 34% nos casos confirmados do vírus H3N2
BH deve ampliar funcionamento de postos de saúde a partir de sábado; medida depende de mais médicos