Janeiro será o primeiro mês em que os servidores ativos e inativos do governo de Minas receberão os salários por meio do Itaú. Segundo informou o Estado, a venda da folha de pagamento para o banco foi realizada em julho, por meio de licitação. 

Os trabalhadores estaduais que ainda não abriram a conta não deixarão de receber o pagamento referente ao mês de dezembro. De acordo com o governo, para garantir o recebimento daqueles que perderam o prazo, foi feita a abertura de uma conta salário. 

“Assim, o servidor poderá sacar o pagamento em qualquer agência do banco Itaú, independentemente da unidade em que a conta salário foi vinculada, bastando, para isso, levar o documento original de identificação e CPF. Na ocasião, será necessário regularizar a situação junto ao banco, abrindo uma conta corrente ou fazendo a opção de como quer receber o salário”, informou. 

Para acompanhamento, o governo liberou para todos os servidores a consulta ao contracheque de dezembro. Ainda de acordo com o Estado, a folha de pagamento referente ao mês já está fechada, sendo assim, não haverá alteração nas informações. 

Depósito teste

Na segunda-feira (27), o banco Itaú realizou um teste na conta corrente ou conta salário dos servidores. Foi depositado um valor simbólico de R$ 0,01. No caso daqueles que fizeram opção pela portabilidade, é recomendável que realizem a conferência se o recurso foi transferido para a instituição financeira, agência e conta indicada. 

“Caso não tenha sido creditado, a Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag-MG) reitera a orientação para o servidor consultar o contracheque e verificar a agência e conta indicadas. Na hipótese de não ter feito a abertura de conta, a recomendação é aguardar o pagamento que será efetuado em janeiro de 2022, por meio da conta salário que o banco Itaú abriu, para regularizar a situação”, concluiu.

* Com informações da Agência Minas

Leia mais:
Aumento na ocupação das enfermarias destinadas à Covid em BH já era esperado, diz infectologista
UFMG divulga calendário acadêmico para 2022; instituição quer todos vacinados
Em assembleia, trabalhadores definem que metrô de BH segue com escala mínima até 17 de janeiro