Defesa Civil Chuva

A Defesa Civil de Belo Horizonte bloqueou o cruzamento entre a rua Joaquim Murtinho e a avenida Prudente de Moraes, no Cidade Jardim, região Centro-sul da capital no fim da tarde desta terça-feora (28). O trânsito no encontro entre as avenidas Francisco Sá e Amazonas, na região Oeste, também está impedido. A medida foi tomada devido ao transbordamento do Córrego Leitão e do Córregos dos Pintos, respectivamente.

De acordo com o órgão, no momento dos transbordamentos, a itensidade da chuva nessas regiões foi considerada extremamente forte. O acumulado registrado nos cruzamentos foi acima de 5 mm em apenas cinco minutos de chuva.

Na tarde desta terça, o órgão também emitiu alerta de granizo em BH e possibilidade de pancadas de chuva (20 a 30 mm) com raios e rajadas de vento em torno de 50 km/h até 8h de quarta-feira (29).

Veja dicas da Defesa Civil para se proteger:⠀

  • Tenha um lugar previsto, seguro, onde você e sua família possam se alojar no caso de chuva de granizo
  • Não permaneça em áreas abertas como campos de futebol, quadras de tênis e estacionamentos
  • Não fique no alto de morros, topo de prédios, torres de linhas telefônicas e de energia elétrica
  • Nunca se abrigue ou estacione debaixo de árvores
  • Procure estacionar em um local seguro e coberto

Emissão de alertas

Os moradores de Belo Horizonte podem receber os alertas de risco de chuvas fortes, granizo, tempestades, vendavais, alagamentos, risco de deslizamentos de terra e outros fenômenos meteorológicos por SMS. Para se cadastrar, basta enviar uma mensagem de texto com o CEP da sua rua para o número 40199 e uma mensagem de confirmação será enviada na sequência. O serviço não tem custo.

A população também pode acompanhar os alertas e as recomendações da Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil por meio do Instagram, Twitter, Facebook e pelo canal público do Telegram no endereço: defesacivilbh.

Leia também
Chove forte em BH e há alerta de granizo nesta terça

Salário, sobrecarga de trabalho, insegurança... Por que faltam médicos na rede pública de BH?