Diante da suspensão de voos da Ita Transportes Aéreos, do Grupo Itapemirim, o Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-MG) orienta os passageiros mineiros que se sentiram lesados pela empresa.

Para aqueles que não obtiveram o reembolso do valor pago ou reacomodação em outro voo, o órgão aconselha que uma reclamação seja cadastrada para solução de conflitos em relação ao consumo. A ação pode ser realizada neste site, por meio da plataforma governamental. 

Veja abaixo todas as recomendações:

  • Registre todos os contatos ou tentativas de contato com a empresa, anotando a forma (telefone, e-mail, chat, etc.), nomes de atendentes, datas e horários, e tratativas feitas;  
  • Caso tenha contratado viagens, hotelaria ou eventos turísticos, guarde todo material referente à contratação. Se não possuir, solicite à agência de viagem, ao hotel ou à empresa de eventos turísticos cópia/comprovação do contrato;  
  • Se, em virtude da ausência de assistência da empresa Ita Transportes Aéreos, teve gastos, como alimentação extra e hospedagem, solicite e guarde os comprovantes, como notas ou cupons fiscais, ou contratos.  

As medidas, segundo o Procon, são necessárias, pois, apesar das providências adotadas pelos Procons, pela Secretaria Nacional do Consumidor (do Ministério da Justiça) e pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) “os danos experimentados pelos consumidores são distintos, devendo, em eventual ação judicial, haver a comprovação dos prejuízos sofridos”, informou.

Leia mais:
Itapemirim suspende operações e deixa passageiros em Confins sem voos
Passageiros de BH reclamam dos prejuízos causados após suspensão de voos da Itapemirim
Itapemirim pretende operar, no total, nove linhas de ônibus a partir de Confins