A volta para a casa nesta quinta-feira (23) segue tumultuada para quem depende do metrô de Belo Horizonte. De acordo com o diretor de comunicação do Sindicato dos Metroviários, Pablo Henrique, durante a noite, as atividades da categoria continuam 100% paralisadas.

Para atender à demanda da população, o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo da capital (Setra-BH), afirmou que nos dias que antecedem o Natal e o Ano Novo está sendo realizado um aumento de 10% a 20% no número de viagens dos ônibus, dependendo da região e após os horários de pico, quando normalmente há redução na circulação dos coletivos.

Além disso, o Setra informou que, para evitar a superlotação das estações, os ônibus extras ficam em espera e entram em operação de acordo com a demanda de passageiros. "Esse esquema vai funcionar amanhã e a BHTrans nos acionará para aumentar as viagens nas estações, em decorrência da falta de transporte em função da suspensão das atividades dos metroviários".

Ainda nesta quinta-feira, o Ministério Público do Trabalho, a pedido da Câmara de Dirigentes e Lojistas (CDL) de BH, afirmou que irá acompanhar o movimento grevista. 

Greve
Na última terça-feira (21) o Tribunal do Trabalho de Minas Gerais expediu uma liminar que estabelece a manutenção de parte da operação do transporte durante a greve dos metroviários. Conforme o texto, as viagens devem acontecer das 5h30 às 10h, no período da manhã, e das 16h30 às 20h, no período da noite.

De acordo com o diretor de comunicação do Sindimetro, o sindicato foi notificado na tarde desta quinta-feira (23). Além disso, uma assembleia extraordinária já foi marcada para esta sexta-feira (24), às 10h, para informar os profissionais sobre a retomada parcial do serviço.

A categoria reivindica a possibilidade de transferência dos profissionais da Companhia Brasileiro de Trens Urbanos (CBTU) para outras cidades devido à privatização do serviço na capital mineira. "A paralisação vai afetar em cheio os usuários do metrô, mas é uma situação limítrofe entre a privatização da empresa e a demissão dos funcionários concursados lotados em Belo Horizonte", afirmou o Sindicato dos Metroviários de Minas Gerais por meio de nota.

Leia mais:

Greve dos metroviários pode seguir até depois do Natal; categoria aguarda realização de assembleia