O leilão de concessão das rodovias BR-381 e BR-262 foi adiado para 7 de fevereiro de 2022, conforme informou a Agência Nacional de Transportes Terrestes nessa quarta-feira (22). 

Inicialmente, a previsão era que a concessão começasse ainda em 2020, mas acabou adiada pela necessidade de revisão da viabilidade econômica em decorrência da pandemia da Covid-19. Uma nova data foi estipulada para março deste ano, mas o edital acabou aprovado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) em julho.

Em novembro, o processo foi adiado mais uma vez, o que se repetiu em dezembro. De acordo com o Ministério da Infraestrutura (Minfra), o edital tem “um novo mecanismo de proteção de variação para o preço de insumos”. A pasta ainda confirmou que o instrumento assegura a “realização dos investimentos necessários por parte dos concessionários, sem que a população seja prejudicada no bolso, com o aumento dos preços dos pedágios”.

De acordo com a ANTT, "a alteração dos documentos e do cronograma foi em razão de ajustes propostos pelo Ministério da Infraestrutura (Minfra), o qual relatou situações que impactam a viabilidade dos projetos que compõem a carteira de concessões de rodovias, principalmente no que tange os efeitos da pandemia de Covid-19".

O que diz o projeto

O planejamento de concessão das rodovias inclui o trecho entre Belo Horizonte e o litoral do Espírito Santo, com a previsão de obras tanto na BR-381 como na BR-262. Dentre as ações, estão previstas a duplicação de quase 600km, construção de passarelas e túneis, além da adição de mais de 130km de novas faixas e vias marginais.

Até o momento, o investimento estimado para as obras é de R$ 7,7 bilhões. Além dessa quantia, R$ 6,9 bilhões ainda estão previstos para manutenção e conservação do trecho.

Leia mais:
Minas anuncia rateio do Fundeb entre os servidores da educação; pagamento em janeiro
BH e mais 597 cidades de Minas estão sob alerta de chuvas intensas nesta quinta; confira lista